Seleção FI do Brasileirão tem seus quatro 'Rs', destaque do Bahia e goleiro salvador

Reinaldo, Rafinha, Robinho e Ricardo Oliveira comandam a seleção, que tem também Zé Rafael

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 01 (AFI) - A 26ª rodada do Campeonato Brasileiro terminou com o Santos diminuindo a diferença para o Corinthians para oito pontos. O Grêmio vem logo atrás com nove. O Palmeiras, que acabou derrotado no clássico para o Peixe, fechou o G4, a 12 do Timão.

A Seleção vem com medalhões como Robinho, Rafinha e Ricardo Oliveira, mas também conta com revelações fo futebol brasileiro como o meia Zé Rafael, do Bahia, e o atacante Brenner, do Botafogo. No gol, Sidão voltou a brilhar ao ser um dos responsáveis por tirar o São Paulo da zona de rebaixamento

O técnico escolhido para comandar a equipe foi Vagner Mancini. O treinador soube controlar a pressão de um time que corre sérios riscos de queda para virar em cima do Botafogo, em pleno Engenhão. Agora, pode trabalhar mais tranquilamente.

Confira a Seleção FI da 26ª rodada:

Goleiro: Sidão (São Paulo)

Ao fim do jogo, Sidão teve seu nome gritado pela torcida presente no estádio do Morumbi. E isso não aconteceu sem motivos. O Tricolor só conseguiu vencer o Sport por 1 a 0 e deixar o Z4 por causa do goleiro. No segundo tempo, o São Paulo caiu de produção e Sidão precisou aparecer. Na reta final, Sidão fez três boas defesas, duas delas foram plásticas. No último lance do jogo, o goleiro defendeu cabeceio a queima-roupa de Henríquez.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lateral: Bruno Pacheco (Atlético-GO)

Ao lado do atacante Walter foi um dos melhores jogadores do Atlético-GO em campo na vitória por 2 a 0 em cima do Avaí fora de casa. Controlou as descidas de Leandro Silva e ainda desarmou os ataques adversários, providencial pela lado esquerdo.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Zagueiro: Bruno Rodrigo (Grêmio)

Em uma rodada sem grandes destaques defensivos foi o zagueiro Bruno Rodrigo quem ‘cavou’ uma vaguinha na Seleção da Rodada. Em um jogo mascado com o Fluminense, o defensor do Grêmio conseguiu anular o adversário e ainda apareceu bem no ataque. Em dois lances ele ganhou pelo alto e assustou o goleiro Diego Cavalieri.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Zagueiro: Marllon (Ponte Preta):

Sabe-se que não é missão fácil passar em branco diante do poderoso ataque do Flamengo e Marlon foi essencial para o resultado conquistado pela Ponte Preta na noite desta segunda-feira. O zagueiro da Macaca teve muitas roubadas de bola durante o jogo e foi soberano, tendo que trabalhar muito bem na reta final, quando a Ponte ficou com um jogador a menos em campo.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lateral: Reinaldo (Chapecoense)

Vinha criticado pela torcida e, de fato, mereceu os protestos quando falhou no primeiro tempo e praticamente deu o gol do Vasco, o primeiro do jogo. Mas conseguiu se redimir em um lance de rara felicidade. De fora da área, o lateral pegou embaixo da bola e conseguiu encobrir o goleiro Martín Silva, num golaço em São Januário. Saiu de campo confessando que tentou cruzar, mas isso não tira a qualidade da jogada.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Volante: Fellipe Souto (Vitória)
É quem comanda o sistema de marcação do rubro-negro baiano. Que fica bem encaixado, principalmente, quando o time atua fora de casa. Talvez ai esteja o ‘pulo do gato’ do técnico Vágner Mancini. É o tipo do jogador que não aparece, mas coordena toda a defesa e acaba dando liberdade para outros jogadores como o meia Neílton e o atacante Trellez, que também se destacaram na vitória por 3 a 1 em cima do Botafogo no Engenhão.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Meia: Zé Rafael (Bahia)
O Bahia deixou a Arena Pernambuco, após 1 a 1 diante do Coritiba, sob vaias, mas a situação só não foi pior pela atuação de Zé Rafael. Mais uma vez, o meia salvou o Tricolor de derrota. Além do gol, criou as melhores oportunidades de gol e ainda ajudou na marcação, fechando as laterais e realizando muitas roubadas de bola. Justificou o interesse de Corinthians, Santos e Palmeiras por seu futebol.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Meia: Rafinha (Cruzeiro)
Em um jogo dominado pelo Cruzeiro mesmo jogando diante do líder Corinthians, Rafinha foi o grande destaque da Raposa. O meio-campo que atuou os 90 minutos e deu trabalho para a defesa adversária durante todo o tempo, com belos passes e velocidade no arranque para o ataque. Além disso, apesar de ser baixinho, foi ele quem fez de cabeça o único gol do time mineiro na partida.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Atacante: Robinho (Atlético-MG)
Precisou Oswaldo de Oliveira assumir o comando do Atlético Mineiro para Robinho voltar a jogar futebol. O atacante, que vinha sendo reserva com Micale, marcou os dois gols na vitória, por 2 a 0, diante do Atlético-PR, resultado que afastou o time da zona de rebaixamento. Com o 'Rei da Pedalada' e Fred o Galo pode voltar a sonhar por uma vaga na Copa Libertadores da América.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Atacante: Brenner (Botafogo)
Como que num toque mágico ele herdou a camisa 9 do artilheiro Roger, que na véspera anunciou ter um tumor num dos rins. Inspirado pelo companheiro, o ex-atacante do Internacional se deu bem no Engenhão diante do Vitória. Mostrou oportunismo para marcar o primeiro gol (de empate) e depois teve tranquilidade para cobrar a penalidade máxima (o gol da virada).

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Atacante: Ricardo Oliveira (Santos)
Quis o destino que Ricardo Oliveira fosse novamente decisivo contra o Palmeiras. O atacante foi o responsável por marcar o gol da vitória no clássico contra o Santos pelo placar de 1 a 0, no fim da etapa complementar. Ele ainda obrigou Fernando Prass fazer um grande defesa com a ponta do pé.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Técnico: Vágner Mancini (Vitória)
Realmente ele tem evoluído taticamente. No segundo tempo no Engenhão, ele mostrou muita coragem e inteligência para virar um jogo que parecia perdido. O Botafogo vencia por 2 a 1, quando ele tirou um volante – Uilliam Correia – e colocou um artilheiro (André Lima, que fez um gol).

Depois sacou o lateral-esquerdo Geferson e colocou o meia-atacante Danilinho (que marcou o terceiro gol). Além disso, fez uma troca interessante com a entrada de Cleiton Xavier na vaga de David.

Foi uma aula tática e que resultou na mudança de um resultado: 3 a 2. Mais do que isso confirmou a ascensão baiana, com seis jogos sem perder fora de casa – um empate e cinco vitórias. O Vitória saltou da zona do rebaixamento para o 11.º Lugar, com 32 pontos.