Ponte Preta vai apostar suas fichas em técnico especialista no Brasileiro da Série B

Depois do 'sumiço' de Gilson Kleina e das exigências de Guto Ferreira, diretoria vai correr atrás de opção mais próxima

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 5(AFI) – Se a diretoria da Ponte Preta mantiver o cronograma inicial, a busca por um técnico para iniciar a temporada 2019 vai ser focada, nesta quarta-feira, em Mazola Júnior. Ele é a ‘bola da vez’ depois da falta de acordo com Gilson Kleina e da negativa de Guto Ferreira.

Mazola é a alternativa ‘mais próxima’ da realidade da Macaca. Ele é de Campinas, já trabalhou na base e foi auxiliar técnico de Marco Aurélio Moreira na década de 90 e agora está amadurecido após dirigir vários clubes de norte ao sul do país.

O técnico pretendido pela Ponte Preta iniciou na terça-feira mais uma etapa de curso de aperfeiçoamento da CBF, que segue até dia 14. Ele faz o curso de ‘Licença Pró’, que é a licença máxima da entidade. Ao lado dele estão técnicos renomados como Tite, Mano Menezes e Dunga.

Ele deve ser procurado hoje e precisa aceitar algumas exigências da direção. Entre elas, ter uma comissão técnica enxuta e que deve ter indicações diretas da própria direção.

Mazola Jr deixou o Criciúma reconhecido pela torcida e pela Imprensa após campanha de recuperação
Mazola Jr deixou o Criciúma reconhecido pela torcida e pela Imprensa após campanha de recuperação

GUTO EXIGIU DEMAIS
Segundo informações, Guto Ferreira exigia trazer toda a sua comissão técnica, que incluiria dois auxiliares, um preparador de goleiros, e dois preparadores físicos. O valor só da comissão técnica daria algo em torno de R$ 300 mil mensais, um valor acima das condições financeiras de momento.

Trabalho de estrutura no Ituano
Trabalho de estrutura no Ituano

Além disso, exigiu muitas contratações já para o Paulistão, mas a ideia do clube é fazer uma base no primeiro trimestre pra depois descarregar as fichas no Brasileiro da Série B. Um raciocínio ´lógico para quem tem orçamento limitadíssimo, desde o rebaixamento para a Série B.

EXIGÊNCIAS DA DIRETORIA
Mazola teria a opção de indicar um auxiliar e um preparador físico e esta comissão se juntaria a um auxiliar e um preparador físico do clube, que vai acompanhar todo o trabalho planejado pela diretoria.

O objetivo é claro: buscar uma padronização no trabalho, caso ocorra, durante a temporada, uma mudança de comando.

BEM CASCUDO
Ex-jogador com passagem pelo futebol português, Mazola Júnior pendurou a chuteira aos 28 anos com uma grave lesão no joelho. Fez o curso de educação física e em Portugal iniciou a carreira de preparador físico e técnico.

No Brasil ele foi adquirindo experiência ao longo dos anos. Fez bons trabalhos em clubes paulistas, como Ituano (2009 e 2010), Bragantino (2013 e 2014) e Botafogo, de Ribeirão Preto (2015).

Mazola subiu com o Sport na Série B
Mazola subiu com o Sport na Série B

PELO BRASIL
Ele também teve experiência em clubes pelo país, a melhor delas em 2011/2012 quando conseguiu o acesso com o Sport Recife da Série B para a Série A.

Em 2013 fez campanha de recuperação com o Cuiabá. Em 2014, tirou Paysandu da Série C e subiu para a segunda divisão.

Tem portas abertas no CRB onde já teve duas passagens. A primeira entre 2015 e 2016 e depois em 2017/2018. Passou em 2017 pelo Vila Nova-GO e terminou esta temporada no comando do Criciúma, num grande trabalho de recuperação, que livrou o time do rebaixamento para a Série C.

É um especialista na Série B, que o encaixa no perfil da diretoria.

 
 
" />