Últimos paulistas a entrarem em campo vivem situações completamente opostas

Bugre está a um passo da classificação, enquanto a Ponte Preta luta contra o rebaixamento

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 16 (AFI) - Guarani e Ponte Preta foram os dois últimos clubes paulistas a pisarem em campo antes da parada por conta da pandemia do novo coronavírus. E os eternos rivais vivem situações completamente opostas no Campeonato Paulista.

O Bugre está a um passo da classificação, enquanto a Ponte Preta luta contra o rebaixamento. Na segunda-feira, 16 de março, há exatos dois meses, o Guarani bateu a Macaca, de virada, por 3 a 2, pela décima rodada. E olha que os alvinegros abriram 2 a 0 no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

O Guarani ocupa a vice-liderança do Grupo D com 16 pontos, nove a mais do que a Ponte Preta, lanterna do Grupo A e também da classificação geral. Sem falar que o Bugre venceu o dobro de vezes da Macaca (4 a 2). Já a Ponte Preta perdeu quase quatro vezes mais (7 a 2).

Bugre vence de goleada. (Foto: David Oliveira / Guarani)
Bugre vence de goleada. (Foto: David Oliveira / Guarani)
DIFERENTES!

Os comandado de João Brigatti são aqueles que mais perderam e os que menos venceram no Paulistão. O time do técnico Thiago Carpini ainda leva vantagem no número de gols marcados. São 15 gols a favor contra 11 dos pontepretanos. A Macaca sofreu 16 tentos, enquanto o Bugre foi furado nove vezes.

Quando a bola voltar a rolar, pela 11ª e penúltima rodada, o Guarani visitará o Botafogo, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. A Ponte Preta irá encarar o Novorizontino no Moisés Lucarelli, em Campinas.