FPF finalmente realiza Conselho Arbitral e define a Segundona Paulista

Times tradicionais do interior paulista, como XV de Jaú, Brasilis, União São João e América de Rio Preto estiveram na reunião

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 02 (AFI) - A Federação Paulista de Futebol (FPF) realizou na tarde desta terça-feira o Conselho Arbitral do Campeonato Paulista da Segunda Divisão e o Futebol Interior esteve presente para trazer os principais detalhes. Assim como nas divisões acima, a competição terá apenas dois clubes com o tão sonhado acesso e já tem data para começar: 17 de abril. A final será no dia 6 de novembro.

Times tradicionais do interior paulista, como XV de Jaú, Brasilis, União São João, América de Rio Preto, Portuguesa Santista, AD Guarulhos e AEA de Araçatuba estiveram presentes na reunião. O presidente Reinaldo Carneiro Bastos esteve presente e coordenou o encontro, diferente do seu antecessor, Marco Polo Del Nero, hoje afastado do cargo de presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e que "desprezava" o futebol do interior do estado.

Antes de iniciar o Conselho, Thiago H. Barbosa aproveitou a ocasião para palestrar ao lado de Reinaldo e diante de todos os presentes sobre práticas muito comuns no Brasil: manipulação de resultados, oriundos de máfias ligadas a sites de apostas. De acordo com ele, uma das metas da Federação é justamente acabar com este 'mal' em todo o estado de São Paulo e no Brasil.

Logo após, o Coronel Marinho pediu a palavra e citou todos os estádios que estão atualmente sem condições de receber confrontos da divisão. Recentemente Marinho deixou o cargo de presidente de Arbitragem da FPF. Só após todas estas formalidades o Conselho Arbitral teve início.

PRAZO APERTADO

O primeiro assunto que foi discutido foram os prazos. Reinaldo Carneiro Bastos deu aos clubes até sexta-feira (05/02) para regularizarem suas situações financeiras, laudos de estádios e filiações com a entidade. Ciente da atual dificuldade do futebol brasileiro, o presidente deu uma 'colher de chá' e não cobrará dos times a Certidão Negativa de Débito (CND), principal pilar do PROFUT.

FORMA DE DISPUTA

Como ainda não é possível prever quantos clubes vão confirmar a participação na última divisão do futebol paulista, a primeira fase não tem formato definido. Ainda assim, a ideia da FPF é manter em grupos de 10, provavelmente com 40 clubes inscritos. Jogando entre si em turno e returno, classificam 16 times, que passarão para o sistema de mata-mata até a grande final, em que os dois finalistas ficarão com o acesso à Série A3 de 2017.

Assim como na Série D do Campeonato Brasileiro, a melhor campanha é acumulativa e os times com melhor aproveitamento decidirão a segunda fase dentro de casa. Em caso de empate no mata-mata, o mesmo critério será usado e não haverá disputa de pênaltis.

Uma das formas de valorizar ainda mais a competição é através das cotas. Justamente por isso, o presidente Reinaldo duplicou o valor de uma edição para outra e, em 2016, cada clube receberá no mínimo R$ 40 mil para arcar com os custos de arbitragem e viagem.

UM BOM AMIGO

E o presidente Reinaldo mostrou que realmente não seguirá a antipatia de Del Nero. Ele deixou claro está a procura de um patrocinador ou parceiro para arcar com os gastos de hotel dos clubes que jogam fora de casa, influenciando diretamente nos custos para disputar a competição. Além disso, também confirmou que tem interesse em ajudar com os uniformes.

A ideia da Federação é ceder os uniformes para os clubes que ainda não tem contrato com fornecedores de materiais esportivos - atualmente 17 times se encaixam neste quadro. O projeto é implementar tudo isso até 2017, mas Reinaldo corre contra o tempo para apresentar uma proposta ainda nesta edição do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

QUEM VAI ENTRAR EM CAMPO?

Como já era esperado, cada clube poderá inscrever apenas 28 atletas na competição, assim como foi em 2015, respeitando o limite de idade de 23 anos - nascidos até 1993. Três jogadores acima do limite de idade também podem ser inscritos até o dia 8 de abril, data limite imposta pela Federação. Os times também poderão trocar 4 profissionais ao final da primeira fase e, em caso de lesão, mais dois (um de linha e um goleiro) na fase de grupos.

INGRESSO POPULAR

Com a intenção de trazer o torcedor mais uma vez para dentro do estádio, a FPF instituiu o preço mínimo em R$ 10. Assim como tem acontecido desde que o presidente Reinaldo Carneiro Bastos assumiu a entidade, os clubes também a opção de utilizar o Programa Futebol Sustentável, que tem como objetivo trocar uma parte dos ingressos por garrafas pet, que serão recicladas.