Muay Thai: A lenda mestre Artur Mariano preside a confederação no país

Mariano fala sobre as responsabilidades do cargo e os desafios do esporte

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 27 (AFI) - Praticante do muay thai há mais de três décadas, o mestre Artur Mariano conseguiu status de lenda do esporte por conta de sua vitoriosa carreira: pentacampeonato carioca (nocaute em todas as cinco ocasiões) e o tricampeonato brasileiro, sendo o único brasileiro invicto nessa arte. O auge da carreira aconteceu em 1997, quando foi campeão do IVC (International Vale Tudo Championship), derrotando o compatriota Wanderley Silva, na final.

Apesar de ter se aposentado há mais de dez anos, por conta de uma trombose, o mestre Mariano ainda tem um grande envolvimento com as artes marciais, já que além de presidir a Confederação Brasileira de Muay Thai (CBMT), o Mestre ainda é representante do World Muay Thai Federation (WMF). Por sua experiência e reconhecimento como um dos melhores árbitros do MMA nacional, foi convidado ainda para ser comentarista televisivo do esporte.

Durante a Copa do Brasil de Muay Thai, que aconteceu no começo de junho, no Rio de Janeiro, Mariano concedeu uma entrevista a AJESPORTES:

AJESPORTES – Como representante da WMF, há alguma tentativa da federação para tentar colocar o esporte no quadro Olímpico?

Artur Mariano – A federação já está trabalhando para isso, acreditamos que dentro de quatro a oito anos o muay thai vai entrar como esporte de apresentação, para em sequência estrear nas olimpíadas. Mesmo representado no mundo inteiro hoje, essa entrada vai demorar um pouco, já que envolve política e dinheiro.

AJESPORTES – Qual a maior dificuldade que a CBMT enfrenta e como isso atrapalha no desenvolvimento do esporte?

Artur Mariano – Não só a Confederação Brasileira, mas como todas as outras, tem a falta de apoio financeiro como principal problema. Por causa desse empecilho, nós só temos condições de fazer eventos amadores com a participação de atletas profissionais.

AJESPORTES – Qual a importância da Copa do Brasil de Muay Thai?

Artur Mariano – Além da visibilidade que o evento proporciona ao esporte, dessa espécie de campeonatos saem as principais promessas tanto do muay thai quanto do MMA, como, por exemplo, o Victor Santos, atual campeão mundial sub-19, e o William Patolino, que há pouco participou do TUF (The Ultimate Fighter).

AJESPORTES – Qual o espaço que o esporte tem no Brasil?

Artur Mariano – Nós, que estamos envolvidos com esporte há mais tempo, buscamos sempre o desenvolvimento e reconhecimento do muay thai no Brasil. Com a grande cobertura do mundial esse ano, que aconteceu na Tailândia, o esporte hoje tem mais força, podendo chamar mais patrocínios para os atletas e Confederação.

AJESPORTES – Para finalizar, qual é a idade ideal para entrada no muay thai?

Artur Mariano – Depende do país. Aqui no Brasil a idade ideal é a partir dos treze ou quatorze anos, porém, na Tailândia, como o esporte tem uma relevância maior, a entrada é um pouco mais cedo, com sete ou oito anos, para depois de seis meses, aproximadamente, começarem a competir.

Saiba mais sobre a Copa do Brasil de Muay Thay em http://www.ajesportes.uerj.br/?p=1590

 
 
" />