Marília se desentende com time da Série C e pode até acionar o STJD por atacante

O time do interior paulista afirma que tem o direito de contar com o jogador para a reta final do Paulista A3

por Agência Futebol Interior

Marília, SP, 24 (AFI) - Marília e Manaus estão se desentendendo por conta da negociação envolvendo o atacante Alison Mira, de 24 anos. O time do interior paulista afirma que tem o direito de contar com o jogador para a reta final do Paulista A3, mas nesta quinta-feira o vice-presidente do clube amazonense afirmou desconhecer o acordo. A informação foi divulgada primeiramente pelo jornalista Jorge Luiz, do Jornal da Manhã.

O Alison Mira tem um contrato com o Manaus FC. Dentro desse quadro fica inviável ceder o jogador. Em outra oportunidade, o clube pode até emprestá-lo, se não confrontar com os nossos interesses.

O único acordo sobre a vinda do jogador para o Manaus FC, dizia respeito a apresentação do atleta só acontecer depois do nascimento do filho dele e assim foi feito. Ele se apresentou junto com o elenco em 13 de julho e agora está trabalhando para o Campeonato Brasileiro Série C”, afirmou o vice-presidente Giovanni Silva.

ENTENDA O CASO

Alison Mira era do Novo Hamburgo-RS e assinou pré-contrato com o Marília em abril. O Manaus contratou o jogador em junho após entrar em acordo verbal com o MAC, para liberar o jogador para o Paulista A3. Entretanto, na época, era esperado que o estadual fosse realizado antes da Série C.

MARÍLIA PODE ENTRAR NO STJD

O Marília notificou o Manaus sobre o acordo e exigiu que o atleta seja cedido ou que a multa rescisória de R$ 300 mil seja paga. Alysson Alex, vice-presidente do MAC afirmou que fala de Giovanni foi muito diferente do que o presidente do Manaus, Luís Mitoso, disse.

“O Vagner Silva (diretor executivo do MAC) conversou com o presidente do Manaus e a fala dele é muito diferente da do vice. Ele falou que vai honrar com o Marília no aspecto de liberar o atleta ou fazer a compensação financeira para o clube (pagar a multa rescisória). Fizemos a notificação ao Manaus nesta quinta-feira (23) e vamos aguardar 15 dias por uma resposta. Se não cumprirem o acordo, nós com certeza vamos acionar o STJD”, afirmou ao Jornal da Manhã, de Marília..

TEMPORADA
Com 11 pontos após 11 das 15 rodadas da primeira fase do Paulista A3, o Marília divide a zona de rebaixamento com o Paulista, que soma sete. No entanto, Linense, com 15, e Desportivo Brasil, com 14, fecham o grupo de classificação às quartas de final.