Zagueiro da Ferroviária é o sétimo jogador a acionar Joinville na Justiça

Hélder, Renan Teixeira, Michel Schmoller, Murilo Rangel, Matheus Albino e Alex Ruan já fizeram o mesmo

por Agência Futebol Interior

Joinville, SC, 09 (AFI) - Depois de uma temporada desastrosa, o Joinville segue acumulando problemas. Na última semana, o zagueiro Gualberto, hoje na Ferroviária, acionou o clube na Justiça e aumentou a lista de processos trabalhistas encaminhados ao departamento jurídico tricolor.

A nova ação é a sétima movida por um atleta que defendeu o JEC neste ano. Antes, já haviam tomado a mesma medida os seguintes nomes: Hélder, Renan Teixeira, Michel Schmöller, Murilo Rangel, Matheus Albino e Alex Ruan.

Além das ações trabalhistas de jogadores, a gestão do presidente Vilfred Schapitz, iniciada em 2018, acumula também processos de funcionários e membros de comissão técnica, como o técnico Matheus Costa e o preparador João Beschorner, além do auxiliar Zé Luiz.

Foto: Beto Lima / JEC
Foto: Beto Lima / JEC
Os problemas com atletas e funcionários na Justiça vêm crescendo gradativamente no clube, conforme mostra levantamento feito pelo jornalista Gabriel Fronzi, do Dois Lances. Antes de 2012, eram apenas três açõess. Na gestão Nereu Martinelli ( de 2012 a 2015), foram dez, enquanto a Gestão Jony Satassun (de 2016 a 2017), recebeu 49 ações.

A crise tem influenciado diretamente dentro de campo. Neste ano, o JEC chegou ao fundo do posso, ao ser rebaixado da Série C para a Série D do Campeonato Brasileiro, após uma campanha bastante ruim. Recentemente, vinha disputando a Copa Santa Catarina e se quer conseguiu se classificar para as semifinais.

 
 
" />