Polícia apreende arma em sede de torcida do Figueirense durante operação

Organizada do Avaí também foi alvo da ação policial, que visa coibir a violência nos estádios e arredores

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 04 (AFI) - A Polícia Civil de Santa Catarina apreendeu uma arma na sede da Gaviões Alvinegros, torcida organizada do Figueirense, durante ação realizada na manhã desta segunda-feira, em Florianópolis. O local foi vasculhado como parte da Operação Hooligan, montada para coibir atos de violência e vandalismo praticados por integrantes de torcidas organizadas.

Além da arma, uma pistola Taurus 838 acompanhada de dois carregadores cheios, foram apreendidos celulares e computadores. O responsável pelo local, que não teve o nome divulgado, foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

Além da Gaviões, a operação atingiu a Mancha Azul, grupo de adeptos do Avaí. Com o apoio do 22º Batalhão da Polícia Militar, mais de 50 oficiais foram mobilizados para o cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão em residências de associados e nas sedes sociais das duas torcidas organizadas.

Foto: Divulgação / PF-SC
Foto: Divulgação / PF-SC

“Esta operação tem um importante papel preventivo para coibir a violência nos estádios e arredores e foi baseada no histórico de violência investigado e também com as informações da Polícia Militar”, afirmou a delegada Eliana Chaves, diretora de Polícia da Grande Florianópolis.

CRIMINOSOS
Alguns dos torcedores que foram alvos da ação tiveram medidas cautelares determinadas pela Justiça e estão proibidos de frequentar estádios para ver aos jogos dos times. Eles precisam se apresentar uma hora antes das partidas em local determinado, de onde sairão apenas uma hora depois do término do jogo.

“As agremiações de futebol, tanto Avaí quanto Figueirense, não possuem relação nenhuma com essa violência. A torcida que vai ao estádio vai para torcer, leva seus familiares e é isso que nós queremos. Identificamos as pessoas que estão cometendo crimes, que fazem o uso do futebol para cometer os seus delitos e esses sim serão responsabilizados”, explicou o delegado Ronaldo Moretto.