Após "não" de Lisca Doido, Cruzeiro volta a sonhar com o técnico do 7 a 1

Ex-treinador da Seleção Brasileira esteve no Cruzeiro em 2000 e 2001 e foi campeão da Copa Sul-Minas

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 12 (AFI) - Se Luiz Felipe Scolari, em um primeiro momento, havia sido descartado por não ter a "cara de Série B", agora, voltou a ser o principal nome na lista do Cruzeiro, segundo o ge. Ainda mais após a negativa de Lisca que preferiu ficar no América-MG.

Lisca se agarrou ao compromisso firmado com o Coelho, mesmo tendo gostado da proposta de Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro. Agora, o time mineiro corre atrás de um substituto para Ney Franco, demitido após o empate sem gols contra o lanterna Oeste em Barueri.

"Depois do jogo de sexta-feira (vitória do América sobre o Náutico, por 2 a 0), o Lisca veio até a mim e disse que foi procurado pelo Cruzeiro, através do Paulo Assis. Ele explicou que agradeceu o convite, mas se comprometeu a ficar no América, pois é grato pela oportunidade que recebeu de começar um trabalho desde o início do ano", disse Marcos Salum, presidente do América, ao Superesportes.

Cruzeiro corre para ter Felipão. (Foto: Rafael Ribeiro / CBF)
Cruzeiro corre para ter Felipão. (Foto: Rafael Ribeiro / CBF)
BOLA DA VEZ!
Felipão ganhou força por conhecer bem o clube e por ter prestígio entre os torcedores. O grande nome daria uma amenizada, em parte, nas críticas que o time e a diretoria vêm recebendo. O pentacampeão mundial e o técnico do 7 a 1 esteve no Cruzeiro em 2000 e 2001 e foi campeão da Copa Sul-Minas.

Independente de quem for o escolhido, será o terceiro treinador do Cruzeiro da Série B. Em 15 rodadas até aqui, o time já foi comandado por Enderson Moreira e Ney Franco.

Essa bagunça se resume dentro de campo. Com apenas 12 pontos - perdeu seis por conta de uma punição da Fifa -, o Cruzeiro amarga a penúltima colocação do campeonato.