Ídolo do Corinthians, Rivelino marcava seu primeiro gol há 55 anos

Dono de um chute de esquerda poderoso, também pasosu pela Seleção Brasileira, onde venceu a Copa do Mundo de 70

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 15 - Há 55 anos, Corinthians e Flamengo se enfrentavam no Pacaembu. A equipe paulista aplicou uma goleada de 5 a 1 no time rubro-negro. Apesar do placar elásico, pouco comum devido ao equilíbrio entre gigantes do futebol brasileiro, o que realmente ninguém imaginou é que naquela partida nasceria o primeiro gol de um dos maiores craques do futebol nacional. O jovem Roberto Rivellino, de apenas 19 anos, fez o quarto gol corintiano, o primeiro de muitos com a camisa alvinegra.

Nascido em São Paulo, no dia 1 de janeiro de 1946, Rivellino teve fortes influências do futsal, devido sua atuação nas categorias de base na modalidade. Após destaque no futebol de salão, como era denominado o esporte na época, foi convidado pelo Corinthians e iniciou sua trajetória no futebol de campo no Parque São Jorge. Lá, inclusive, foi apelidado de Reizinho do Parque.

ÍDOLO
Reverenciado com um dos maiores ídolos da história corintiana, o antigo meio-campista era conhecido pelo seu forte chute de esquerda, além da habilidade fora do comum. Só pelo Corinthians foram 474 jogos e 114 gols marcados. Ao todo, foram nove anos defendendo o Alvinegro.

Rivelino com a camisa do Corinthians
Rivelino com a camisa do Corinthians
Apesar de ser símbolo corintiano, o canhoto não colecionou muitos títulos com a camisa preta e branca. O primeiro de sua carreira, foi justamente em seu segundo ano como profissional, quando o Corinthians foi campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1966. No entanto, tal competição foi um tanto quanto diferente.

Na ocasião, devido aos resultados da última rodada, houve um empate em onze pontos entre Corinthians, Santos, Botafogo e Vasco. Desta forma, por uma série de fatores, as quatro equipes foram declaradas campeãs.

Depois disso, sua equipe não viveu bons momentos no futebol nacional. Porém, em cenário internacional, conquistou alguns campeonatos de menores expressões. Um deles foi a Copa Cidade de Turim, em 1966. Inclusive, Rivellino fez o único gol de sua equipe no empate em 1 a 1, contra o Espanyol. A decisão foi para as penalidades máximas, com o Corinthians superando o time espanhol.

SELEÇÃO BRASILEIRA
Pela seleção canarinho, o ex-jogador também deixou sua marca. Logo em sua primeira partida em Copa do Mundo, em 1970, no México, marcou o gol que abriria o placar de 4 a 1, contra a Tchecoslováquia. Mas os gols não pararam por aí.

Já na segunda fase, no duelo contra o Peru, pelas quartas de finais, o camisa 11 acertou um forte chute cruzado, do lado esquerdo da entrada da área. A bola ainda bateu violentamente na trave esquerda do goleiro antes de entrar. O Brasil venceu por 4 a 2.

Na semifinal também deixou o dele, mas desta vez, ao invés de abrir uma goleada, ele a encerrou. Mesmo com os uruguaios inaugurando o placar, logo aos 19 minutos, com Cubilla, Clodoaldo empatou, aos 44, e Jairzinho virou aos 31 do segundo tempo. Mas ainda havia tempo para Pelé puxar arrancada, parar na entrada da área e rolar a bola para Rivellino soltar mais um canhão e sacramentar a passagem do Brasil para a grande final.

Na decisão, a Seleção Brasileira derrotou facilmente os italianos, em mais um placar elástico no campeonato, por 4 a 1. O camisa 11 não marcou, mas participou efetivamente de jogadas que levaram ao gol.

Como no tento de Pelé, aos 11 da etapa inicial, quando acertou um ótimo cruzamento para o cabeceio do Rei estufar as redes. Rivellino jogou tão bem o Mundial, que impressionou aos anfitriões mexicanos, sendo apelidado de "Patada Atômica". Pela Seleção Brasileira ainda disputou as Copas de 74 e 78.

FICHA TÉCNICA
Corinthians 5 x 1 Flamengo
Local: Pacaembu – São Paulo (SP)
Renda: Cr$ 7.030.500,00
Público: calculado em 10.300
Árbitro: José Teixeira de Carvalho
Gols: Geraldo José 12', Édson 27', Flávio 41', Rivelino 45'+1', e Manoelzinho 47' (SCCP) – Samuel 55' (CRF).
Corinthians: Heitor; Augusto, Mendes, Clóvis e Maciel; Edson e Rivelino; Alex, Flávio, Manoelzinho e Geraldo. Técnico: Osvaldo Brandão.
Flamengo: Marcial; Murilo, Jaime, Ditão e Paulo Henrique; Carlinhos e Fefeu; Carlos Alberto (Samuel), Airton, Amauri e Ailton. Técnico: Flavio Costa