Paulista A3: Após novo tropeço em casa, confusão envolvendo lateral agita Comercial

Em seis partidas no Palma Travassos, a equipe de Ribeirão Preto somou apenas dez pontos e tem 55% de aproveitamento

por Agência Futebol Interior

Ribeirão Preto, SP, 11 (AFI) - Pela terceira vez em seis jogos neste Campeonato Paulista da Série A3, o Comercial não conseguiu fazer a lição de casa e deixou o Palma Travassos sem vitória. O último tropeço aconteceu no sábado, quando o Leão do Norte ficou no 1 a 1. O empate também ficou marcado pela confusão envolvendo o lateral-esquerdo Dener.

Familiares do jovem jogador, de apenas 18 anos, teriam ficado inconformados com reclamações da torcida sobre o atleta. O clima esquentou, uma discussão começou, e o presidente alvinegro, Ademir Chiari, buscou conter os ânimos - sem sucesso. Por isso, uma reunião envolvendo diretoria, comissão e plantel precisou ser feita.

"Houve uma confusão com um pai de atleta que não se sentiu confortável com a manifestação do torcedor, que é legítima. Com todo respeito, os pais precisam ter discernimento, se a manifestação não agredir ninguém, o torcedor tem todo o direito. Houve um exagero, o nosso presidente tentou apartar a confusão e isso se estendeu para a marquise do estádio, o pai desceu, o time não venceu, o time empatou, mas estamos a quatro pontos de classificar, não estamos disputando rebaixamento e sim a classificação, temos que nos fechar, comissão, direção, jogadores. Dentro desse contexto, fizemos uma reunião, conversando, mas tudo dentro de normalidade para o clube continuar. O objetivo maior está perto, que é a classificação", afirmou David Isaac, vice-presidente do Comercial.

 Dener — Foto: Rafael Alves / Comercial FC
Dener — Foto: Rafael Alves / Comercial FC
Durante a confusão, Dener chegou a dizer que não iria mais vestir as cores do clube. Depois, mais calmo, voltou atrás na decisão.

“O Dener falou que ia embora por causa da família. Ele é um garoto. Tem que entender ele também. Se não souber controlar, você perde o atleta que tem potencial enorme. Ele não foi bem no jogo hoje. Mas se entregou, caiu de cãibra no fim. O que vem de fora não pode influenciar aqui. Os familiares não podem expor ele. A gente blinda, coisas ruins não saem daqui pra fora, o grupo é bom. A gente se fecha e se resolve. O grupo conversa, não precisa sair daqui de dentro. Não tem problema. O problema veio de fora e isso não pode”, contou o técnico Edson Vieira.

PRECISA MELHORAR
O Comercial está longe de ser um mandante indigesto. Em seis partidas no Palma Travassos, a equipe de Ribeirão Preto somou apenas dez pontos e tem 55% de aproveitamento, o segundo pior entre os integrantes do G8 e bem abaixo de Velo Clube e Primavera, os quais conseguiram mais de 73% e são os melhores no quesito.

"Precisamos acertar jogar em casa e começar a vencer. Estamos buscando pontos fora, mas temos que aprender a vencer em casa, senão, no mata-mata, vai ficar difícil", disse o meia Edson Pio.

"Temos que ter pé no chão, brigamos pela classificação, depois é outro campeonato. O fator casa vai ajudar, vamos brigar no mata-mata, temos que estar entre os oito. O torcedor tem direito de cobrar. Contra Audax e Noroeste, nós perdemos em casa. Eu ficaria chateado se tivesse empatado com o Olímpia, com todo respeito, mas empatamos com um time que tem qualidade, que é o Desportivo Brasil, que briga por acesso. Nosso time é guerreiro, ninguém pode falar contra. Se não dá show, tem entrega", complementou o treinador.