Em silêncio e quase rebaixada, Chape se prepara para duelo contra o Avaí

Durante esta quarta-feira,nenhum atleta foi colocado à disposição para coletiva de imprensa

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 13 (AFI) - Com chances de ser rebaixada neste final de semana, dependendo dos resultados de rivais diretos na briga pela permanência, a Chapecoense vive uma semana complicada enquanto se prepara para enfrentar o Ceará, em duelo marcado para o próximo domingo, na Arena Condá. Pagamentos atrasados, contato com a imprensa evitado e certa tensão pintam o cenário no CT do clube.

Durante esta quarta-feira, por exemplo, nenhum atleta foi colocado à disposição para coletiva de imprensa. A Chape comunicou que a decisão não foi tomada por alguma motivação especial e que apenas não há programação para entrevistas.

Foto: Márcio Cunha/ACF
Foto: Márcio Cunha/ACF

ESPERANDO
Os jogadores ainda aguardam o pagamento de um mês de salários registrados em CLT e mais sete de direitos de imagem. No início da semana, o presidente do clube, Paulo Magro, afirmou que está esperando um depósito da nova patrocinadora do clube para quitar ao menos dois meses dos direitos de imagem.

Na última segunda-feira, a Chapecoense usou a renda de R$ 839.850,00 obtida no jogo contra o Grêmio, no último domingo, para pagar os salários de outubro aos funcionários. Os atletas pediram que o assunto fosse tratado como prioridade, à frente do recebimento dos seus próprios vencimentos.

A Chape ocupa a vice-lanterna do Brasileirão, com 22 pontos somados, 13 a menos que o Cruzeiro, primeiro time fora da zona de rebaixamento.