Série C: Meia do Paysandu manifesta apoio a jogador do Remo após caso de racismo

Gaúcho, atacante Nicolas repudiou a atitude de torcedores do Juventude que cometeram injúria racial contra Emerson Carioca

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 09 (AFI) - A rivalidade entre clubes foi deixada de lado pelo meia-atacante Nicolas, do Paysandu, após o caso de racismo envolvendo torcedores do Juventude e o atacante Emerson Carioca, do Remo. O jogador remista teria sido chamado de macaco quando foi substituído no último sábado, em duelo no Alfredo jaconi, em Caxias do Sul. Gaúcho de Alegria, na região norte do Rio Grande do Sul, Nicolas manifestou apoio ao jogador do rival.

Na vitória por 1 a 0 sobre o Tombense, na última segunda-feira, o meia bicolor comemorou o gol simulando um índio caçando com arco e flecha. A comemoração foi uma alusão ao protesto feito por Robgol, quando jogava pelo Papão e marcou um gol contra o mesmo Juventude, em partida na qual acusou o zagueiro Antônio Carlos Zago de chamar o Pará de “terra de índio”, em 2005. Nas páginas oficias do Paysandu, foi publicada uma declaração de Nicolas contra o racismo.

“Essa semana aconteceram alguns fatos e, inclusive, na minha terra, então a gente fica um pouco triste, chateado. É uma forma de protesto, também lembrando o Robgol, ídolo do Paysandu que marcou história. É uma maneira de protestar, a gente não pode mais aceitar esse tipo de situação, o futebol é um meio muito forte e é um canal que se pode tirar um proveito para minimizar o máximo possível essas situações”, afirmou o jogador bicolor.

Nicolas reproduziu comemoração de Robgol. (Foto: Jorge Luiz / Paysandu)
Nicolas reproduziu comemoração de Robgol. (Foto: Jorge Luiz / Paysandu)
“O pessoal do Pará sofreu lá em Caxias do Sul, essas questões de racismo, foram chamados também de índios, isso é um absurdo, não tem espaço para isso. Independente da rivalidade, nós temos que abraçar isso e tentar de certa maneira excluir esse tipo de comentário do futebol. Cada um fazendo a sua parte, a gente consegue”, completou.

Após apurar com detalhes os casos de racismo denunciados no Alfredo Jaconi, o Clube do Remo emitiu uma nota oficial repudiando o acontecimento e agradecendo a atitude de Nicolas.

LEIA A NOTA:

Diante dos acontecimentos do último sábado durante a partida contra o Juventude, em Caixas do Sul, e após apurar com jogadores, comissão técnica e torcedores que estiveram no Estádio Alfredo Jaconi, o Clube do Remo vem a público repudiar os atos de injúria racial direcionados ao atleta Emerson Carioca, bem como todos os outros casos de mesma esfera

O clube lamenta profundamente o ocorrido e presta solidariedade ao atacante e aos torcedores presentes. Esperamos que medidas legais sejam tomadas para que casos como esse não voltem a se repetir na sociedade. Por fim, agradecemos a manifestação e solidariedade do atleta Nicolas e dos clubes. E, reconhecemos que para tais pautas, não há cor, raça, credo, religião e muito menos escudos que nos diferenciem ou nos torne mais ou menos que o próximo