Bragantino 4 x 1 Fortaleza - Braga enterra o Tricolor de Aço

por Agência Futebol Interior

Bragança Paulista, SP, 23 (AFI) - O Bragantino conseguiu a reabilitação dentro do Campeonato Brasileiro da Série B ao golear o Fortaleza, por 4 a 1, nesta sexta-feira à noite, no Estádio Nabi Abi Chedid, na abertura da 32.ªrodada. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro – (MG) (FIFA)
Cartões amarelos: Gilmak, Rogerinho e Cristian (Fortaleza). Carlinhos, Da Silva, Adãozinho e Diego Macedo (Bragantino).
Cartão vermelho: Rogerinho (Fortaleza)

Gols: Sérgio Manoel, aos 28'/1T, Lúcio, aos 16'/2T, Léo Jaime, aos 24'/2T e Paulinho, aos 43'/2T (Bragantino). Marcelo Nicácio, pênalti, aos 16'/2T (Fortaleza)
A vitória apagou a derrota para a Ponte Preta, por 2 a 1, e deixou o time paulista com 46 pontos, em sétimo lugar, virtualmente livbre do rebaixamento. O time cearense, que vinha de derrotas para América-RN e Atlético-GO acumulou o terceiro tropeço seguido, continua com 32 pontos, em 18.º lugar, dentro da zona do rebaixamento.

Começo lento
Ao contrário do esperado, o Bragantino não imprimiu uma forte pressão inicial, como costuma fazer em seus jogos em casa. E tinha plenas condições disso, porque o Fortaleza entrou em campo muito recuado.

Mesmo sem forçar, o time paulista saiu na frente aos 28 minutos, graças à experiência de Sérgio Manoel, de 37 anos. Ele cobrou falta quase na linha de fundo, como um mini-escanteio e abriu o placar. Aproveitou o vento e colocou efeito na bola, enganando o goleiro Douglas. “Estou muito feliz, porque é o meu primeiro gol na temporada”.

Momento de tensão
Aos 35 minutos, momentos de tensão. Frontini caiu desmaiado em campo depois de bater a cabeça com Rocha. O atacante do Bragantino ficou desacordado e deixou o gramado de ambulância, sendo encaminhado para a Santa Casa.

Lá já recordou os sentidos e passou por exames de tomografia e ficaria internado preventivamente por 24 horas. Por conta disso, o jogo ficou seis minutos paralisado, uma vez que houve a necessidade da chegada de outra ambulância.

Tudo ou nada!
Na volta para o segundo tempo, o técnico Roberto Fernandes resolveu colocar o time cearense no ataque. Ou seja, fez tudo que não quis no começo do jogo, quando deixou o time exageradamente recuado.

Tirou o lateral Marcos Tamandaré e o volante Ticão para as entradas de dois atacantes: Vanderlei e o artilheiro Marcelo Nicácio, com 13 gols, que não tem condições físicas de atuar mais do que 45 minutos. Era o famoso "tudo ou nada", um loucura. Para justificar o erro na escalação, outro erro feio nas mudanças.

O vento quase ajudou o lateral Everaldo empatar no primeiro minuto. Ele foi cruzar, mas a bola seguiu em direção ao gol. Gilvan espalmou, a bola tocou na trave e saiu. Um susto. No primeiro contragolpe, o Bragantino ampliou. Léo Jaime desceu em velocidade e vislumbrou Lúcio do lado esquerdo. Ele ajeitou e bateu cruzado: 2 a 0, aos 16 minutos.

Gol fatal
Mas nem houve tempo de comemoração, porque em seguida Carlinhos cometeu pênalti sobre Vanderlei. Na cobrança, Marcelo Nicácio deslocou Gilvan e marcou seu 14.º gol na competição. Mas a fragilidade defensiva do Fortaleza permitiu que aos 24 minutos, Léo Jaime definisse o placar. Ele recebeu passe açucarado de Beto e chutou no canto esquerdo de Douglas.

Aos 36 minutos, Rogerinho colocou o braço na bola e foi expulso - já tinha o cartão amarelo. Ficou mais fácil para o Bragantino, que fechou a goleada aos 43 minutos. Diego Macedo cruzou e Paulinho, na pequena área, desviou de cabeça.

Próximos jogos
Na terça-feira, o Bragantino abre a 33.ª rodada, de novo, em casa, diante do América-RN, outro time ameaçado pelo rebaixamento. O Fortaleza vai atuar no Castelão, sábado, dia 31, mas contra um adversário indigesto: o líder Vasco da Gama.

Ficha Técnica

Bragantino 3 x 1 Atlético-GO

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Renda: R$ 4.765,00
Público: 418 pagante

Bragantino Técnico: Marcelo Veiga.

Fortaleza
Douglas; Marcos Tamandaré (Vanderlei), Gilmak, Edson e Everaldo; Rocha, Ticão (Marcelo Nicácio), Coutinho e Saulo (Cristian); Marcelo de Faria e Rogerinho.
Técnico: Roberto Fernandes.
Gilvan; Kadu, Carlinhos e Da Silva; Diego Macedo, Paulinho, Adãozinho, Lúcio e Sérgio Manoel (João Paulo); Léo Jaime (Danilo Bueno) e Frontini (Beto).