Briga política atrapalha transformação em time do Interior Paulista em clube-empresa

Presidente Italiano diz ter projeto de clube-empresa e acusa Pedro Batista, presidente do conselho, de atrapalhar

por Agência Futebol Interior

São José do Rio Preto, SP, 4 (AFI) – Uma disputa política continua travando o futuro do América de Rio Preto, um dos clubes mais tradicionais do Interior de São Paulo e que há anos está mergulhado num ostracismo.

O presidente Luiz Donizete Prieto, o Italiano, jura querer modernizar o clube com parceiros, mas tem contra si a pressão do presidente do Conselho Deliberativo, Pedro Batista, que por quase duas décadas foi o ‘homem forte’ do futebol do clube.

Italiano diz ter projeto de clube-empresa
Italiano diz ter projeto de clube-empresa
Com o estádio Benedito Teixeira, o Teixeirão, já tendo ido a leilão várias vezes, o clube tem disputado nos últimos anos a Segunda Divisão Paulista, a última divisão de São Paulo.

PARCERIA PREJUDICADA
Segundo Italiano existe um projeto de profissionalização do futebol do clube, que seria transformado em clube-empresa. Mas o negócio está sendo travado por Pedro Batista.

“É uma verdadeira perseguição. O pior é que ele (Pedro Batista) que deixou o América no fundo do poço” – diz o advogado Emílio Ribeiro Lima, diretor jurídico do Mecão.

Emílio explica que existe um projeto em andamento para transformar o América em clube-empresa, com 51% das ações ficando com o clube e 49% com investidores. O valor do aporte seria de R$ 10 milhões. O projeto, segundo ele, não inclui o Teixeirão, mesmo porque ele está penhorado.

BRIGA JURÍDICA

A disputa política virou uma árdua briga jurídica. O negócio dependia da aprovação do conselho deliberativo, formado por 100 membros eleitos e mais 100 membros vitalícios. A reunião seria realizada no dia 4 de julho, porém, não aconteceu. Ao contrário, houve uma tentativa de cassação de Italiano.

Emílio Ribeiro Lima
Emílio Ribeiro Lima

Diante do impasse, houve uma mobilização por parte do grupo de Italiano para a formação de um novo conselho deliberativo. A eleição aconteceu em 20 de setembro, porém, acabou contestada na justiça.

DESTITUIR CONSELHO
O objetivo agora é através de uma Assembleia Geral de Sócios, que é soberana, destituir Pedro Batista. Isso estaria nas mãos de cerca de 240 sócios.

“O Batista tentou no último domingo, dia 1.º, fazer uma Assembleia de forma ilegal para tentar derrubar o Italiano. Agora o Batista vai responder por crime de desobediência judicial bem como por falsidade ideológica, tendo em vista que ele apresentou conselheiros que não poderiam participar ou votar qualquer matéria em relação ao América” – acusa Emílio Lima.

Resta saber onde esta disputa política via empurrar o América, que já está no fundo do poço.