Fifa suspende por toda a vida ex-dirigente do Equador acusado de aceitar subornos

A investigação sobre Chiriboga é relacionada ao escândalo de corrupção que assolou o futebol mundial em 2015

por Agência Estado

Campinas, SP, 21 (AFI) - A Fifa anunciou nesta quinta-feira a suspensão por toda a vida de Luis Chiriboga, de 72 anos, ex-presidente da Federação Equatoriana de Futebol (FEF, na sigla em espanhol), por envolvimento no escândalo de corrupção que assolou o futebol mundial em 2015 com a prisão, em um hotel de luxo na Suíça, de vários dirigentes da Conmebol (América do Sul) e da Concacaf (Américas do Norte e Central e Caribe), entre eles o brasileiro José Maria Marin.

Além de comandar o futebol do Equador, Chiriboga era membro do Comitê Executivo da Conmebol e da Fifa. Em novembro de 2016, mais um ano depois de sua prisão na Suíça, o ex-dirigente foi condenado judicialmente em seu país a 10 anos de prisão. Apresentou recurso e na segunda instância da Justiça equatoriana teve a pena reduzida para seis anos e multa de cinco milhões de dólares (R$ 19,17 milhões).

Na esfera do futebol, o Comitê de Ética e Disciplina da Fifa decidiu nesta quinta-feira suspender Chiriboga por toda a vida de qualquer atividade ligada ao esporte e recebeu ainda uma multa de 1 milhão de francos suíços (R$ 3,9 milhões).

"A investigação sobre o sr. Chiriboga é relacionado a esquemas de recebimento de subornos para acertar contratos de transmissão de TV e direitos de comercialização de diversos torneios de futebol, entre eles a Copa América e a Copa Libertadores", informou a Fifa no comunicado oficial que divulga a punição ao ex-dirigente equatoriano.