Robgol, ex-Santos e Paysandu, tem celular clonado e vira golpe no "zap"

Contatos dos jogadores sofreram prejuízo, somado, de quase 30 mil reais

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 16 (AFI) - Artilheiro nos anos 2000, o atacante Robson, o Robgol, ex-Santos e Paysandu, costumava dar muito trabalho aos zagueiros adversários. Agora, é a vez do ex-atacante ter dor de cabeça. Longe do mundo da bola, o ex-goleador teve seu celular clonado e acabou servindo de isca para que bandidos tomassem quase 30 mil reais de contatos do ex-jogador.

O golpe começou na quarta-feira. Enquanto conversava com Lecheva, ex-companheiro de Paysandu, Robson percebeu que seu whatsapp havia travado e recebeu a "dica" do amigo, que havia passado pelo problema recentemente. A partir de então, vários contatos de Robson começaram a receber mensagens de pedidos de transferências bancárias.

Entre as vítimas estão parentes de Robgol e amigos de Belém e Campina Grande. São seis lesados no total, somando um prejuízo de R$ 27 mil. O caso foi registrado na na Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos, no bairro da Sacramenta, em Belém. Com ajuda da Polícia Civil, Robgol tenta identificar os criminosos.

Matador dentro das quatro linhas, Robgol teve problemas com a polícia quando se elegeu como deputado estadual do Pará, em 2007, pelo PTB. Como político, o ex-atleta foi condenado pela CPI dos Contracheques, onde foram investigados o desvio de mais de R$ 1 milhão por mês, desde 2008, nos contracheques da Alepa (Assembleia Legislativa do Pará).

Em 2011, em uma busca de apreensão do MPE (Ministério Público Estadual), foram encontrados na casa de Robgol cerca de R$ 500 mil, além de R$ 40 mil em tickets alimentação da Alepa. O então deputado conseguiu um pedido de habeas corpus preventivo para não ser preso e se mudou para Portugal, onde estava antes de retonar a Belém.