Copa do Mundo: Brasil terá que jogar muito, dizem pentacampeões

"A escola suíça cresceu muito nos últimos tempos. A Sérvia tem um jogo parecido com o Brasil. Eles são fãs do futebol brasileiro. Jogam um futebol de força, mas de técnica também"

Categorias: Seleção Brasileira

Por: Agência Estado, 01/04/2022

Penta do Brasil no museu da Seleção Brasileira
Penta do Brasil no museu da Seleção Brasileira. (Foto:Lucas Figueiredo/CBF)

Campinas, SP, 1 – O início da caminhada do Brasil na Copa do Mundo no Catar não será fácil, na visão de jogadores que defenderam a seleção brasileira no pentacampeonato, em 2002. Eles entendem que o grupo com Sérvia, Suíça e Camarões, conhecido nesta sexta-feira (1), após o sorteio da Fifa, vai gerar dificuldade à equipe treinada por Tite na primeira fase.

ADVERSÁRIOS DO BRASIL ESTÃO BEM

“É um grupo bem competitivo. O Brasil vai ter de jogar o fino da bola para se classificar”, avalia o ex-volante Edmílson, em entrevista ao Estadão. Ainda que a chave seja parecida com a de 2018, suíços e sérvios também estavam no caminho brasileiro na Rússia. Edmílson crê que o grupo, desta vez, oferece mais dificuldades ao Brasil porque os dois rivais da Europa evoluíram. Cabe lembrar que a Suíça eliminou a França na última Eurocopa e a Sérvia, ao terminar como líder de seu grupo nas Eliminatórias Europeias e fez Portugal de Cristiano Ronaldo jogar a repescagem.

“A escola suíça cresceu muito nos últimos tempos. A Sérvia tem um jogo parecido com o Brasil. Eles são fãs do futebol brasileiro. Jogam um futebol de força, mas de técnica também”, opina.

Penta do Brasil no museu da Seleção Brasileira
Penta do Brasil no museu da Seleção Brasileira. (Foto:Lucas Figueiredo/CBF)

“BRASIL DA EUROPA”

A antiga seleção da Iugoslávia era chamada de “Brasil da Europa” em razão de seu futebol vistoso. O país existiu até 2003 e começou a se desintegrar em 1991, dando origem à Sérvia, Croácia, Eslovênia, Bósnia & Herzegovina, Macedônia, Montenegro e Kosovo.

CONTENTE EM ENFRENTAR O BRASIL

O atual comandante da seleção sérvia, é Dragan Stojkovic. Por toda importância que tem a seleção brasileira para o futebol mundial, ele disse estar contente de poder enfrentar o país pentacampeão.

“Quando se fala sobre futebol se pensa na seleção brasileira”, afirmou o técnico, em entrevista ao SporTV. “É um grupo muito difícil. O Brasil é favorito, do meu ponto de vista, e vai se classificar. Será um partida desafiadora. Eu gosto de jogar contra times como o Brasil”.

“CAMARÕES É MELHOR DO QUE A COSTA RICA”

No Catar, a única seleção diferente na chave do Brasil em relação à Copa da Rússia, será Camarões. Há quatro anos, o time de Tite encarou e venceu a Costa Rica. A presença dos africanos, na visão de Vampeta, torna mais dura a vida da seleção brasileira na fase inicial.

“Camarões é melhor do que a Costa Rica. Os jogadores camaronenses jogam na Europa”, comentou o ex-volante, para o qual a Sérvia é a segunda força da chave. “A seleção da Sérvia está muito mais forte neste ano. Tem um dos melhores atacantes do mundo, o Vlahovic”, disse, fazendo menção ao goleador que se transferiu da Fiorentina para a Juventus recentemente.

SORTE BRASILEIRA

O Brasil pode encontrar dificuldades na chave, mas ao menos escapou da Alemanha, responsável pelo histórico 7 a 1. Os alemães caíram no Grupo E, que também tem Espanha e Japão, além do vencedor do duelo entre Costa Rica e Nova Zelândia, que se enfrentam na repescagem. “Por experiência própria, os primeiros jogos são os mais difíceis, os mais nervosos, então não é bom pegar os melhores logo de cara”, observou o ex-zagueiro Lúcio, que vestiu a amarelinha em três Mundiais: 2002, 2006 e 2010.

RIVALDO CONFIANTE NA SELEÇA

O Brasil não é eliminado no estágio de grupos da Copa do Mundo desde 1966 e vem de 15 partidas sem derrota na primeira fase Mundial. O último revés ocorreu em 1998, por 2 a 1, para a Noruega. Nas Eliminatórias, a equipe de Tite alcançou pontuação história e terminou o torneio invicto. A campanha quase perfeita na competição classificatória ajudou o País a retomar a liderança do ranking da Fifa.

“Olhando o que outras seleções vêm mostrando ultimamente, eu estou confiante de que o Brasil pode chegar na final da Copa do Mundo e trazer o hexa pra casa. Para mim, o Brasil é favorito a conquistar a Copa do Mundo”, analisou Rivaldo, figura importante no último título do Brasil em Copas.

AL RIHLA: HELIÓPOLIS (SP) RECEBE LANÇAMENTO DA COPA DO MUNDO 2022

Confira também: