Blog do Ari: Bragantino joga melhor e merece vencer Guarani

Braga joga melhor, cria várias chances e merece ganhar do Guarani em Bragança

No 1º tempo, apesar do maior volume do Bragantino, o Guarani soube se defender e quase não ofereceu chances de infiltração ao adversário

Categorias: Colunas

Por: Agência Futebol Interior, 01/02/2022

Guarani bragantino paulistao 2022 e1643686210268
Blog do Ari analisa jogo em Bragança. Foto: Thomaz Marostegan/GFC

Campinas, SP, 1 (AFI) – Blog do Ari analisa jogo em Bragança. Aí um fanático torcedor bugrino me ligou logo após a derrota para o Bragantino por 1 a 0, na noite desta segunda-feira em Bragança Paulista, e lascou:

“Ari, você ouviu os elogios que o comentarista da televisão fez para o Guarani, apesar da derrota?”.

PARTICIPE COM COMENTÁRIOS. CLIQUE AQUI !

Quem se norteia pelo bordão do saudoso narrador de futebol Pereira Neto, de que ‘os números estão aí e não mentem jamais’, de certo vai concordar com o bugrino fanático, pelo placar magro.

Pra provar que a história não é bem essa, recorro àquilo que habitualmente evito fazer nas análises pós-jogo: histórico de chances reais criadas por ambas equipes.

Se durante o primeiro tempo, em arrancada de Lucão, houve hesitação de Yago para finalizar, e lance foi desperdiçado, o Bragantino teve chance mais clara através do meia Hyoran, lançado nas costas do lateral-direito Matheus Ludke, mas cara a cara com o goleiro Kozlinski conseguiu o inimaginável: chutou a bola para fora.


GUARANI ATRÁS

bragantino guarani lance 2022 e1643686456757
Blog do Ari: Bom duelo em Bragança

No primeiro tempo, apesar do maior volume de jogo do Bragantino, o Guarani soube se defender e quase não ofereceu chances de infiltração ao adversário, tanto que as finalizações foram basicamente de fora da área.


A proposta era repetir o estilo praticado diante do São Paulo, de explorar contra-ataques em velocidade, mas essa situação só ocorria quando Lucão e Yago pegavam a bola no campo defensivo e tentavam incursões com rapidez ao ataque.


CHANCES REAIS

No segundo tempo, mesmo que o Guarani quisesse avançar as suas linhas, a lógica foi o prevalecimento da melhor postura do Bragantino para encurralá-lo em seu campo defensivo.

Logo, aquele maior volume de jogo resultou em chances reais de gols, e cabe enumerá-las.


Aos sete minutos, lançado nas costas da defensiva bugrina, o atacante Artur ficou cara a cara com o goleiro Kozlinski, mas demorou para a definição e perdeu a jogada.

Aos dez Hyoran roubou a bola do volante Bruno Silva, mirou no centroavante Alerrandro ao seu lado, já dentro da área, mas o passe que deixaria seu companheiro na cara do gol foi alongado e a jogada perdida.

Aos 22 minutos, Artur tabelou com Jan Hurtado e, de frente para o goleiro Kozlinski, chutou a bola por cima dele.

Até então, o Guarani havia assustado a meta do goleiro Cleiton apenas em chute forte, de fora da área, do lateral-direito Matheus Ludke, aos 18 minutos.


GOL DA VITÓRIA

Aí prevaleceu o dito que ‘água mole em pedra dura, tanto bate até que fura’.


Isso ocorreu aos 32 minutos, quando o zagueiro Fabricio Bruno do Bragantino lançou Hyoran, já dentro da área. Incontinente viu-se o giro dele sobre Ludke e o chute forte, de pé esquerdo, no canto direito de Kozlinski.


Ora, o histórico do jogo fala por si só sobre amplos méritos do Bragantino para chegar à vitória, mesmo ainda distante daquele time envolvente do último Campeonato Brasileiro.

Apesar disso, a derrota não deslustra o Guarani, que mais uma vez levou a campo o espírito guerreiro constatado na estreia diante do São Paulo.


GIOVANNI AUGUSTO

Claro que a postura inicial do Guarani com três volantes – Bruno Silva, Madison e Eduardo Person – de certo foi colocada em prática no processo de rearrumação da equipe.

A tendência é que isso persista até que o meia Giovanni Augusto readquira ritmo normal, visto que apenas teve participação ativa quando sofreu falta a meio metro da entrada da área, aos 42 minutos do segundo tempo, e o chute forte quase surpreendeu o goleiro Cleiton.

Com a chegada do lateral-esquerdo Matheus Pereira, o time vai ganhar mais ofensividade pelo setor, assim como fez falta o lateral-direito Diogo Mateus contra o Bragantino.

Confira também: