Campeã no lançamento de martelo, russa é flagrada em doping em Londres-2012

A reanálise das amostras de Tatyana Lysenko mostrou a presença de turinabol, um esteroide proibido pela Wada

por Agência Estado

Campinas, SP, 11 - O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou nesta terça-feira mais um caso de doping flagrado em novos testes realizados em amostras colhidas em edições anteriores da Olimpíada. Desta vez, a russa Tatyana Lysenko foi flagrada em exame relativo aos Jogos de Londres-2012, quando se sagrou campeã olímpica no lançamento do martelo.

A reanálise das amostras da atleta russa mostrou a presença de turinabol, um esteroide proibido pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Com o resultado, o COI cassou a medalha de ouro obtida por ela há quatro anos. A russa é bicampeã mundial - Daegu-2011 e Moscou-2013 -, porém o COI não se manifestou a respeito destas conquistas.

Lysenko não pôde defender o título olímpico no Rio de Janeiro porque a equipe de atletismo da Rússia foi suspensa pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) por causa de uma investigação que apontou doping sistemático no esporte russo, contando inclusive com apoio de autoridades do governo.

Lysenko não pôde defender o título olímpico no Rio de Janeiro porque a equipe de atletismo da Rússia foi suspensa - Foto: Reprodução/Twitter
Lysenko não pôde defender o título olímpico no Rio de Janeiro porque a equipe de atletismo da Rússia foi suspensa
NÃO É A PRIMEIRA VEZ
A lançadora russa, de 33 anos, já havia cumprido suspensão por doping na carreira. Entre 2007 e 2009, ela ficou suspensa por dois anos por causa de exame que constatou presença de esteroide em suas amostras. O teste positivo tirou a atleta dos Jogos de Pequim-2008. Agora, ela deve sofrer uma suspensão definitiva.

Com a punição, a polonesa Anita Wlodarczyk vai herdar a medalha de ouro. Anita havia conquistado a prata em Londres. Com essa conquista, ela será declarada bicampeã da modalidade, uma vez que venceu nos Jogos do Rio, neste ano. A prata de 2012 ficará com a alemã Betty Heidler e o bronze será herdado pela chinesa Zhang Wenxiu, que neste ano ficou com a prata - Heidler foi apenas a quarta colocada no Engenhão.

O COI já contabiliza 98 casos de exames positivos em doping na reanálise das amostras obtidas junta aos atletas nos Jogos de 2008 e 2012. Os resultados estão causando a desclassificação, e eventual cassação de medalhas, dos atletas nestas competições realizadas há quatro e há oito anos.