Série C: Diretoria do Mogi Mirim não paga salários atrasados e clima fica pesado

Nos bastidores, os jogadores estudam a possibilidade de entrarem na Justiça contra o clube

por Agência Futebol Interior

Mogi Mirim, SP, 15 (AFI) - O Mogi Mirim vai apenas cumprir tabela na última rodada da fase de grupos do Campeonato Brasileiro da Série C, mas o fim da temporada será melancólico. A diretoria não honrou com a palavra e os salários do elenco seguem três meses atrasados. A atitude acabou irritando ainda mais os jogadores e deixando o clima bastante pesado no Vail Chaves.

Na semana, representantes do Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo (SAPESP) estiveram reunidos com os dirigentes do Sapão da Mogiana e definiram prazos para que os salários atrasados fossem quitados. No acordo, o clube tinha que pagar o de junho na última terça-feira, de julho na sexta e de agosto e setembro até o fim desse mês.

O elenco do Mogi Mirim não recebe salários há três meses e estuda entrar na Justiça
O elenco do Mogi Mirim não recebe salários há três meses e estuda entrar na Justiça
O último salário que os jogadores receberam foi em maio e, como não estão com perspectiva de receberem os atrasados nos próximos dias, eles já se mobilizam nos bastidores para entrarem na Justiça após a Série C contra o clube.

Mesmos com os salários atrasados, os jogadores trabalham com o objetivo de se despedirem da Série C com um resultado positivo neste domingo, contra o Juventude, às 16 horas, no Vail Chaves, pela última rodada do Grupo B. Esse é pensamento de Mário Júnior, que faz sua segunda partida no comando do Sapão da Mogiana.

"Vamos tentar organizar para cumprir bem o jogo de domingo e terminar com bom resultado. O clube tem uma história e os jogadores estão criando a história deles. Tem que entender que, no futebol, todo dia tem que provar", afirmou Mário Júnior.

Com 22 pontos e na sétima colocação do Grupo B, o Sapão da Mogiana não tem mais chances de ser rebaixado e nem de se classificar para as quartas de final.