Chapecoense jogará final da Sul-Americana em Curitiba ou Porto Alegre

De acordo com o presidente Sandro Pallaoro, o clube recebeu oferta de quatro estádios para sediar a decisão

por Agência Estado

Chapecó, SC, 24 (AFI) - A Arena Condá foi uma arma importante para que a Chapecoense pudesse alcançar uma inédita final da Copa Sul-Americana. Mas o estádio de Chapecó passa longe de ter a capacidade mínima de público exigida pela Conmebol para um jogo deste calibre e não poderá receber a decisão contra Atlético Nacional ou Cerro Porteño.

Assim, logo após a heroica classificação, num sofrido empate em 0 a 0 com o poderoso San Lorenzo na Arena Condá, quarta-feira à noite, a Chapecoense já pensava em como solucionar o problema.

A torcida da Chapecoense terá que viajar para ver a final da Sul-Americana.
A torcida da Chapecoense terá que viajar para ver a final da Sul-Americana.
De acordo com o presidente Sandro Pallaoro, o clube recebeu oferta de quatro estádios. A federação gaúcha colocou à disposição tanto a Arena Grêmio quanto o Beira-Rio. O Atlético-PR ofereceu a Arena da Baixada, num pacote que incluiu um período de adaptação para a equipe catarinense, em Curitiba, uma vez que o gramado tem estádio sintético. A quarta opção é o Couto Pereira, do Coritiba, único que não é modernizado.

A distância de Chapecó para Porto Alegre ou Curitiba é praticamente a mesma - entre 400 e 500km -, mas o técnico Caio Júnior prefere a capital paranaense. "Existem as opções do Couto Pereira e da Arena da Baixada. Para mim, seria legal jogar em Curitiba, minha cidade. E Chapecó vai toda para Curitiba, se eu pudesse, recebia todos na minha casa", afirmou. Os jogos devem ser nas duas próximas quartas-feiras.