Torcedor do Brasil de Pelotas pede que clubes "ajudem de verdade" a Chapecoense

Ele lembra que, assim como em 2009, os clubes aproveitam a oportunidade para prestar suas homenagens

por Agência Futebol Interior

Pelotas, RS, 01 (AFI) – A tragédia com o voo 2293 que levava o elenco da Chapecoense chocou todo o mundo esportivo, mas em especial ao Brasil de Pelotas, clube gaúcho que, guardadas as proporções, passou por uma situação parecida em 2009. Voltando de um jogo-treino o ônibus tombou em um penhasco e matou três pessoas. De lá pra cá o clube passou por altos e baixos e só agora conseguiu se recolocar no cenário nacional – disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

Em solidariedade com as famílias e fãs do clube catarinense, o torcedor Marcos Pereira de Souza divulgou um texto em que pede para que o futebol brasileiro atenda a todas as promessas que fez nos últimos dias. Ele lembra que, assim como em 2009, os clubes aproveitam a oportunidade para prestar suas homenagens, mas que em pouco tempo tudo caiu em terra.

De acordo com Marcos, a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) encaminhou apenas R$ 50 mil para o Brasil de Pelotas e ainda o obrigou a continuar jogando profissionalmente. Clubes como Ypiranga e Juventude não o isentaram do rebaixamento e por isso o Xavante bateu na segunda divisão do Campeonato Gaúcho e retornou apenas recentemente.

Ele ainda aproveitou para relembrar os momentos de dificuldade que o clube de Pelotas viveu e ainda aproveitou para agradecer a ajuda do Botafogo do Rio de Janeiro e o Grupo Tholl, que fez com que as receitas voltassem a crescer. A tragédia com o ônibus matou Cláudio Milar, ídolo da torcida, o zagueiro Régis e o treinador de goleiros Giovani Guimarães.

Confira o texto do torcedor gaúcho:

“Do Brasil de Pelotas,

Pra encerrar este dia horroroso, gostaria de dizer a todos os clubes que ofereceram ajuda à Chape que cumpram com suas promessas. Não se aproveitem do momento para fazer autopromoção e ganhar 'likes' nas redes sociais.

Impossível não lembrar de 2009 e impossível não lembrar das tantas promessas não cumpridas. Obrigaram o Brasil a jogar uma competição sem as menores condições, não isentaram o Brasil do rebaixamento (graças à discordância de Juventude e Ypiranga - jamais esqueceremos), nos massacraram em campo sem qualquer piedade, recebemos míseros 50 mil da FGF e o time teve que lidar com a falta de estrutura e o pagamento das indenizações, todas pagas por esforço exclusivo do clube e da torcida. Solidariedade de verdade mesmo recebemos do Botafogo e do Grupo Tholl, que emprestaram seus nomes e prestigio para reverter renda em benefício do Xavante e, obviamente, do Claudião Duarte que aceitou DE GRAÇA o encargo de dirigir um time que era escalado no vestiário com a seguinte pergunta: "quem ai tem condições de jogar?"

Portanto, se ofereceram ajuda, ajude de verdade. Se ofereceu jogador, envie um jogador, mas não aquele perna de pau que não treina ha meses, mas alguém que possa ajudar a formar um TIME. Se prometeu dinheiro, ajude com dinheiro. Se prometeram isentar a Chape do rebaixamento, não recorra ao STJD quando estiver em 16° lugar e rebaixado à Serie B. Aceite as condições e benefícios que são oferecidos agora, no calor da emoção.

Muito mais que a reconstrução de um clube com uma trajetória linda existem muitas famílias envolvidas, que dependiam dos falecidos e dependerão do clube a partir de agora.

#ForçaChape”