Times do Brasileirão reclamam da cota de TV e deixam a Primeira Liga

Insatisfeitos com uma divisão não igualitária das cotas de TV, os paranaenses Coritiba e Atlético deixam a competição

por Agência Estado

Curitiba, PR, 22 - O Coritiba e o Atlético-PR são os primeiros clubes a oficializarem suas saídas da Primeira Liga, entidade criada por equipes dos estados do Sul, de Minas Gerais e do Rio e que pretende organizar a segunda edição do seu torneio no ano que vem. Eles discordam do modelo de divisão do dinheiro proveniente da venda dos direitos de transmissão do campeonato, adquiridos pela TV Globo.

"Saímos da Primeira Liga por não concordar com as regras propostas. Não aceitamos a diferenciação e distinção entre os clubes. Queremos algo que seja bom para todos", reclamou Rogério Portugal Bacellar, presidente do Coritiba.
Sem concordar com as regras financeiras propostas para o torneio, paranaenses deixam Liga
Sem concordar com as regras financeiras propostas para o torneio, paranaenses deixam Liga

Em texto no seu site oficial, o Coritiba lembra que "foi um dos fomentadores desta Liga, realizou reuniões em Curitiba, contatou dirigentes de clubes e federações até que ela ganhasse força e representatividade" e que "o objetivo central do projeto era fazer algo novo, com novas ideias, capaz de desenhar novos cenários na organização do esporte, prospectando uma mudança na engrenagem do futebol brasileiro".

"Todavia, as decisões internas da Liga quanto as regras de distribuição de receitas ofertadas pela emissora de televisão interessada na competição não agradaram o presidente do Coritiba e, principalmente, vão de encontro às pretensões do Coritiba na busca por um formato diferente de fazer futebol", reclama o clube alviverde.

O Atlético-PR ainda não explicou de forma oficial a sua saída, já confirmada pela Primeira Liga, que alegou "discordâncias internas". "Nestas condições, a partir do dia de hoje (terça-feira), os citados clubes deixam de fazer parte da Primeira Liga", diz a nota da entidade.

A Primeira Liga pretendia organizar um torneio com 16 clubes no começo do ano que vem. A mudança no calendário da Libertadores e da Sul-Americana, que a partir de 2017 vão de fevereiro a novembro, entretanto, deixou a competição, chamada em 2016 de Copa Sul-Minas-Rio, sem datas no calendário oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O Atlético-MG, classificado à Copa Libertadores, já avisou que não deverá ter as seis datas necessárias para disputar o torneio e também deve ficar fora. Os demais participantes da Liga são: Cruzeiro, América-MG, Paraná, Flamengo, Fluminense, Brasil de Pelotas, Inter, Grêmio, Chapecoense, Criciúma, Avaí, Figueirense e Joinville. Atlético-GO, Ceará, Tupi-MG, Luverdense e Londrina também são associados e devem brigar pelas vagas abertas.