Técnicos de clubes de Campinas sinalizam por reforços

Hélio dos Anjos e Marcelo Chamusca sinalizam com abertura da janela para fortalecimento. Os dois clubes estão na zona de rebaixamento da SERIE B.

Chamusca disse com todas as letras que vai procurar tirar o Guarani da incômoda situação em que se encontra até a 'abertura da janela'.

Categorias: Colunas

Por: ARIOVALDO IZAC - -, 04/06/2022

Guarani e Vila Nova fazem duelo de lanterna na Série B (Thomaz
Guarani com limitações. (Thomaz Marostegan/Guarani FC)

Campinas, SP, 4 (AFI) – Treinadores Hélio dos Anjos e Marcelo Chamusca, respectivamente de Ponte Preta e Guarani, já deram a senha pra cartolada dos clubes campineiros, em entrevista nesta sexta-feira: reforços.

Chamusca disse com todas as letras que vai procurar tirar o Guarani da incômoda situação em que se encontra até a ‘abertura da janela’.

Entenderam, senhores cartolas bugrinos?

Se o comandante quer reforço, claro está que não está satisfeito com aquilo que viu.

Dos Anjos bateu na mesma tecla ao citar que o elenco pontepretano é heterogêneo e que é preciso revitalizá-lo, num claro entendimento que precisam chegar atletas que incorporem mais a equipe.

ERROS

Nas entrelinhas subentende-se críticas dos comandantes técnicos das equipes aos seus diretores e superintendentes de futebol.

Cá pra nós: não deixam de ter razões.

Nos meus tempos de repórter tive contato de pouco menos de um ano com o então diretor de futebol da Ponte Preta, Marco Eberlin, que na conversa aparentava ser rápido no ‘gatilho’.

Depois, comprei informações de amigos que de fato ele é o homem da bola na Ponte Preta, tanto que assumiu a presidência com proposta de fazer diferente dos despreparados que por lá passaram.

DESINFORMAÇÃO

Aí Eberlin começou a cometer erros primários pra quem é da bola.

Desconhecer que o atacante Pedro Júnior e volante Wesley sequer eram titulares no Vila Nova e CRB é dose.

Desinformado que o zagueiro Fabrício já não mostrava confiança desde os tempos de Paraná Clube, anos atrás, é uma baita desatenção.

Embora tivesse camisa no Náutico, o volante Matheus Jesus não convencia. E por aí vai pra não me estender.

Um homem da bola não pode cometer erros primários, que contribuíram para montagem de um elenco questionadíssimo.

MICHEL ALVES

Se o passado aponta acertos do superintendente de futebol do Guarani, Michel Alves, o presente mostra exagero de erros em contratações de jogadores.

Volante Índio já havia passado pela Ponte Preta e sabia-se sobejamente de suas limitações.

Neste espaço foi avisado que o centroavante Nicolas Careca é esforçadíssimo, corre incansavelmente, mas não tem bola para jogar no Guarani, e nem no CRB, onde havia perdido vaga entre os titulares.

Não bastasse ter contratado o atacante Ronald e volantes Madison e Silas, que de alguma forma ou de outra acabam atuando; questionadíssima, igualmente, foi a contratação do zagueiro Leandro Castán, cuja passagem pelo Vasco, na temporada passada, foi de críticas.

Já não mostrava velocidade para acompanhar atacantes rápidos, o que reflete em risco se o Guarani adotar linha adiantada dos zagueiros.

Enfim, de ambos os lados registro para erros em excesso de avaliação e contratação de jogadores, com tendência de que o cenário seja modificado com abertura da janela.

E aí: os clubes têm dinheiro para investimento?

Confira também: