RB Debate na Pizzaria do Dadá foi polêmico e falou da Seleção Feminina de Futebol

Romeu de Castro abordou a conturbada saída da técnica Emily Lima e a chegada do experiente Vadão

Romeu Castro, presidente do Saad EC, foi o convidado especial do RB Debate para falar do futebol feminino do Brasil, especialmente sobre a saída de Emiliy Lima e a chegada de Vadão

Por: Agência Futebol Interior, 04/10/2017

hqdefault

Campinas, SP, 04 (AFI) – O programa RB Debate, transmitido da Pizzaria Monte Cristo, a Pizzaria do Dadá, foi marcado pela presença do hoje principal conhecedor do futebol feminino no Brasil, o presidente do Saad EC, Romeu de astro. Um dos, se não o primeiro, batalhador pela modalidade no esporte, Romeu Castro não se escondeu e falou tudo o que pensa e viu na saída conturbada da técnica Emily Lima com a chegada do experiente Osvaldo Alvarez, o Vadão. Romeu não gostou dos ataques de Emily que não conseguiu resultados à frente da Seleção Nacional.

“É muito triste quando você tem um clima tão polarizado e onde você começa, inclusive, a atacar o passado das pessoas falando sem nenhuma razão. Nós vimos muita gente lançando nas redes sociais ofensas pessoais e profissionais ao técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão. Isso é muito injusto. O Vadão tem uma história no futebol brasileiro e está acima de qualquer suspeita. Tem trabalhos marcantes no futebol masculino e também no feminino”, falou Romeu que complementou.

“Recentemente, antes de aceitar o convite da Seleção, estava praticamente acertado com a Ponte Preta, que é um time da Série A do Brasileiro. Portanto é um dos 20 melhores técnicos do País. Além disso, quando terminou a Olimpíada, o reconhecimento de seu trabalho veio de forma internacional, afinal ele concorreu o prêmio do melhor treinador do ano, estando entre os oito indicados pela FIFA”, falou o presidente do Saad.

Romeu de Castro foi o convidado especial do programa RB Debate e falou do futebol feminino do Brasil - Divulgação

Romeu de Castro foi o convidado especial do programa RB Debate e falou do futebol feminino do Brasil

Quanto a saída de Emily Lima, Romeu disse que algumas coisas foram omitidas por ela e por aqueles que apenas criaram polêmica conturbando o futebol feminino no País.

“Muito se falou que o Brasil perdeu para a Venezuela na categoria de base, mas não se falou que a Venezuela, no futebol feminino, tem muito mais tradição que o masculino. E se diminuíram a seleção venezuelana não foi falado que a treinadora da base nacional, na época, era a própria Emily Lima. Além disso, foi falado em futebol revolucionário com a chegada da Emily, porém, nada foi mostrado. Revolucionário foi o trabalho do técnico da Austrália que após perder para o Brasil de Vadão, por 3 a 1, em 2016, mostrou qualidade e venceu este mesmo Brasil, porém, de Emily, em três oportunidades seguidas, uma sendo por 6 a 1. Essa recuperação eu considero revolucionária, afinal de adversário batido em várias oportunidades, se tornou um algoz e passou a ser vencedor”, explicou.

Romeu também falou do que espera de futuro da CBF pela Seleção Feminina do Brasil.

“Acredito que precisamos aguardar o que a CBF vai definir de como vai ficar o trabalho da base antes de julgar qualquer pessoa ou entidade. Eu estou ao lado do coro que quer uma presença forte feminina dentro das nossas seleções também nos cargos de comando. A mulher brasileira tem capacidade e merece ocupar um lugar no comando do esporte que defende. Este pra mim é um ponto inegociável e acho que o grande ganho para o nosso esporte está na união e na força. Não é clube da Luluzinha e nem do Bolinha. Nós temos que ter uma interação como a que levou ao sucesso o futebol americano. Acho que o Brasil com o conhecimento do Vadão e com as mulheres interagindo e se preparando ainda mais para assumir o comando, com certeza vai longe”, finalizou.

Participaram do BR Debate, além de Romeu de Castro, os apresentadores Carlos e Marcelo Corsato, o comentarista Claudinei Corsi e os repórteres Washington Melo, que falou do Guarani e Luís Fabiani, que trouxe as informações da Ponte Preta.

Pizzaria do Dadá
A Pizzaria do Dadá funciona de segunda a segunda, inclusive no almoço. Tem uma ambiente descontraído e confortável. Promove também eventos e costuma abrir seu espaço cultural para cantores de toda a região. O caipira e sertanejo ganham a disputa. A PIZZARIA MONTE CRISTO – Rua Padre Manoel Bernardes, 1085 Parque Taquaral – Campinas/SP. E com delivery pelo fone (19) 3242-3125.