Paulistão: Goleiro revela incômodo com recuo excessivo da Ponte Preta: 'Prejudica muito'

Ygor Vinhas mostrou descontentamento com comportamento da Macaca neste início de temporada

Publicado em .

Ygor Vinhas mostrou descontentamento com comportamento da Macaca neste início de temporada

Campinas, SP, 07 (AFI) - Um assunto foi tema de todas as entrevistas coletivas na Ponte Preta após derrota diante da Internacional de Limeira: o recuo excessivo em meio à vantagem no placar.

O tema esteve na pauta com todos entrevistas depois de a Macaca sofrer com pressões frequentes nas quatro partidas disputadas até aqui no Campeonato Paulista.

Ygor Vinhas cobra mudança de postura na Ponte - Álvaro Júnior / AA Ponte Preta
Ygor Vinhas cobra mudança de postura na Ponte

Herói da vitória em cima do Corinthians, com pênalti na conta e coleção de defesas no segundo tempo, Ygor Vinhas revelou incômodo com o comportamento do time ao longo dos 90 minutos.

"Abrimos o marcador primeiro e tivemos a vantagem. Infelizmente, estamos tendo essa postura de recuar em alguns jogos. Não é comando da comissão, nem comando do banco. É uma postura automaticamente e isso tem nos prejudicado muito. Temos conversado para ver o que estamos errando e melhorar", declarou o goleiro.

"A ideia é não ter essas surpresas negativas. Nós conversamos com o Gilson e entre nós também. É questão de postura. Nós temos de saber administrar essa vantagem criada nos jogos. Não recuar, não chamar o time adversário para cima. Fazendo assim, vamos conseguir sempre ter o resultado positivo", continuou.

TESTE DE FOGO

Com 50% de aproveitamento em quatro rodadas, a Ponte Preta volta a campo neste sábado, quando encara o Palmeiras, a partir das 19h30, no Estádio Moisés Lucarelli.

Ciente da dificuldade da partida, Vinhas pede para Macaca extrair lições do passado e colocá-las em prática no 'clássico'.

"É mais um grande jogo contra o Palmeiras. É um jogo difícil e de nível muito elevado, como foi com o Corinthians. Os dois estão pressionados. É aprender com os erros para fazermos grande partida aqui", projetou.

"É verdade, é um jogo diferente. Tem grande repercussão, mas eu procuro me manter tranquilo. Quando vou muito bem, procuro não me empolgar. Em caso de ir mal também, não é pensar que sou o pior goleiro do mundo. É continuar trabalhando para dar sempre um retorno positivo dentro do campo", finalizou.