Itália pedirá prisão de Robinho no Brasil e colocará jogador na lista da Interpol

Apesar de ter acordo de cooperação judiciária com a Itália, a Constituição Federal de 1988 proíbe extraditar nacionais

Categorias: Personalidades

Por: Agência Futebol Interior, 20/01/2022

robinho condenado

​Santos, SP, 20 (AFI) – Apesar da condenação em última instância por estupro coletivo pela Justiça italiana, Robinho e seu amigo Ricardo Falco não podem iniciar a pena, ao menos incialmente, pois estão no Brasil. Entretanto, Stefano Opilio, diretor do Ministério de Justiça da Itália afirmou que pedirá cumprimento da pena no Brasil.

“No caso da impossibilidade da extradição, vamos pedir a execução da pena no Brasil”, afirmou.

Apesar de ter acordo de cooperação judiciária com a Itália, a Constituição Federal de 1988 proíbe extraditar nacionais. Assim, para cumprir pena no Brasil, a Itália deve fazer um pedido para ser analisado pelo Superior Tribunal de Justiça brasileiro.

LISTA VERMELHA DA INTERPOL

Os nomes de Robinho e Ricardo Falco também serão incluídos na Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) para prisão e extradição em 195 países. O Brasil está entre eles, mas o próprio Ministério Italiano não acredita em prisão dos dois em solo brasileiro. Assim, eles só seriam presos se viajassem para os outros 194 países.

O CASO

Robinho e Falco foram condenados com base no artigo “609 bis” do código penal italiano, que fala do ato de violência sexual não consensual forçado por duas ou mais pessoas, obrigando alguém a manter relações sexuais por sua condição de inferioridade “física ou psíquica”.

Robinho e cinco amigos estupraram uma jovem albanesa em um camarim da boate milanesa Sio Café, onde ela comemorava seu aniversário. O caso aconteceu em 22 de janeiro de 2013, quando o atleta defendia o Milan.

Confira também: