Com ajuda da FPF, XV se livra de dívida com time da Bulgária e punição severa

Com o acerto com o Ludogorets, oNhô Quim fica livre das possíveis sanções previstas no caso de não pagamento do débito até o dia 20

por Agência Futebol Interior

Piracicaba, SP, 14 (AFI) - O presidente do XV de Piracicaba, Celso Christofoletti, e o advogado do clube, Ramon Bisson, confirmaram em entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda-feira, na Sala Bauma de Imprensa, que o Alvinegro levantou o dinheiro necessário e já iniciou os trâmites burocráticos para o pagamento da dívida referente à frustrada transferência do atacante Paulinho ao Ludogorets da Bulgária, em 2012. Desta forma, o Nhô Quim fica livre das possíveis sanções previstas no caso de não pagamento do débito até o próximo dia 20.

“Nós nos defendemos desde o início. Eu ingressei no departamento jurídico do clube no meio desse processo. Conseguimos uma grande redução no valor estipulado inicialmente. Em última instância, os valores chegaram a 50 mil euros para o XV e 21 mil euros para o Paulinho. No caso do valor referente ao atleta, o XV entra como clube solidário, como juridicamente costumamos dizer”, explicou Bisson, que lembrou os fatores que elevaram o preço total do débito para R$ 607 mil.

“A dívida é corrigida em 5% ao ano, por isso ela cresceu e chegou aos 90 mil euros. Outro problema no momento do pagamento é a questão tributária. O XV teve que fazer o recolhimento de 18% além do valor devido, como imposto de renda e imposto sobre operações financeiras, que é o IOF. Tudo isso encareceu mais a dívida. Já fizemos o pagamento e enviamos os comprovantes para a Fifa. Entre hoje e amanhã, devemos receber a confirmação do débito quitado e aguardamos a finalização desse processo”, prosseguiu.

XV quita dívida com clube búlgaro e fica livre de punições; clube continua em busca de recursos
XV quita dívida com clube búlgaro e fica livre de punições; clube continua em busca de recursos

Christofoletti afirmou que foram dias de uma árdua luta em busca do montante que livra o XV de um rebaixamento de divisão estadual. “Reunimos várias pessoas, empresários que nos ajudaram. Agora temos que continuar atrás de recursos para pagar esses empréstimos. Sempre honramos nossos compromissos e nossa preocupação, além de pagar essas pessoas, neste instante, é começar a traçar o orçamento para a próxima Copa Paulista e a Série A2 de 2019. Por isso, precisamos do apoio de todos que gostam do XV”, disse Christofoletti.

O fato de honrar seus compromissos, citado pelo mandatário quinzista, aliás, foi crucial para que o Nhô Quim contasse com um importante auxílio. “A Federação Paulista de Futebol nos antecipou a cota de R$ 130 mil do Campeonato Paulista Série A2 do ano que vem, algo inédito. A Federação, inclusive, quer que divulguemos que fez isso por se tratar do XV. Temos todas as contas em dia, os balanços auditados e nenhuma reclamação trabalhista de jogador. Essa é nossa obrigação, mas isso fez com que a entidade fizesse essa antecipação. Segundo a Federação, é bom que isso seja noticiado para que sirva de exemplo para outros clubes”, falou.

O CASO
Em 2012, então atacante do XV de Piracicaba, Paulinho se transferiu para o Ludogorets da Bulgária. Alegando falta de adaptação, o jogador retornou ao Alvinegro Piracicabano antes do prazo previsto para o término do seu vínculo. Então, o clube búlgaro entrou com uma ação na Fifa tentando um ressarcimento. Nesse tempo, foram contratados advogados especializados no direito desportivo internacional, que até agora prestam assessoria jurídica ao XV.

Segundo Bisson, o pedido inicial era de mais de 200 mil euros, além de uma suspensão de seis meses ao atleta e o fechamento de duas janelas de transferências para o Nhô Quim. “O XV não pagou a dívida antes porque estávamos tentando reduzir, como conseguimos, e não estávamos condenados ainda. Se tem direito a recurso, vai recorrer até quando puder. Agora não tínhamos mais”, comentou Christofoletti.