Segundona: Artilheiro do Comercial, Gleyson recupera bom futebol em retorno ao Brasil

Na equipe de Ribeirão Preto já fez 12 gols, dos 34 marcados pelo time que ostenta o melhor ataque da competição

por Federação Paulista (FPF)

Ribeirão Preto, SP, 05 (AFI) - Artilheiro do Campeonato Paulista da Segunda Divisão com 12 gols marcados em 13 jogos pelo Comercial, time com melhor campanha, Gleyson tem só 21 anos, porém bastante história para contar. Emprestado pelo São Caetano, se destacou quando criança numa escolinha de futebol, foi artilheiro do Paulista sub-20, jogou na Europa, onde se profissionalizou, e voltou ao Brasil para recomeçar em Ribeirão Preto.

Nascido em Americana, começou no futebol aos seis anos, na escolinha do bairro em que vivia, Jardim Amélia, onde sempre gostou de ser atacante. O treinador, no entanto, disse que só chegaria a ser profissional se fosse zagueiro. Sem desistir, aos 14 anos chegou ao Guarani de Campinas, histórico celeiro de craques, após se destacar em campeonatos de sua cidade. Foi levado pelo então treinador da equipe de base bugrina, Júnior Batistela.

Artilheiro pelo Comercial, Gleyson recupera bom futebol em retorno ao Brasil (Foto: Rafael Alves/Divulgação/Comercial)
Artilheiro pelo Comercial, Gleyson recupera bom futebol em retorno ao Brasil (Foto: Rafael Alves/Divulgação/Comercial)
Dispensado do Guarani, passou num teste para atuar no Rio Branco de Americana, por quem disputou o Paulista Sub-15 de 2011, chegando até a terceira fase. Com os quatro gols que marcou, chamou a atenção do Grêmio e, posteriormente, do Coritiba. Sem tanto espaço em ambos, preferiu jogar.

“Saí por vontade própria. Não via muita oportunidade de jogar e procurava um clube onde teria chance de mostrar mais meu futebol”, contou sobre a ida ao São Caetano.

GRANDE MOMENTO
No ABC Paulista, viveu grande momento. “Cheguei no São Caetano em 2015 e lá consegui ter maior sequência de jogos, fui artilheiro e convocado pela seleção paulista”, disse se referindo especialmente ao Campeonato Paulista Sub-20 daquele ano, quando também chegou até a terceira fase, mas fez 19 gols sendo o artilheiro da competição.

Gleyson treinava com os profissionais e jogava pela base. Após dois anos, foi negociado com o Alcanenense de Portugal. Por lá fez sua estreia no profissional ao jogar a Terceira Divisão do Campeonato Português. Na equipe que brigava para não cair, marcou cinco gols em 12 jogos e ajudou a evitar o rebaixamento.

Na temporada seguinte foi para o Locar Deportiva, que jogava a Segunda Divisão B da Espanha, o equivalente ao terceiro escalão. Com poucas oportunidades, não fez gols e decidiu voltar ao Brasil. “Pedi a rescisão no começo deste ano com o clube espanhol. Voltei para o Brasil, precisava começar tudo do zero, reconquistar a minha confiança para voltar a fazer bons jogos”, contou o atacante.

De volta ao São Caetano, foi emprestado para o Comercial. Na equipe de Ribeirão Preto já fez 12 gols, dos 34 marcados pelo time que ostenta o melhor ataque da competição, sendo o líder do Grupo 3 no estadual. “Feliz por ter recuperado o meu bom futebol no Brasil, junto com isso a artilharia também. Sinto que tomei a decisão certa ao voltar para o meu país”, disse Gleyson.

Tão jovem e com tantas mudanças e incertezas na carreira, o suporte da família é fundamental. “Meus pais são meus heróis e tudo que faço hoje no futebol e na vida são para eles! Sou muito grato a Deus pela família que tenho”, valorizou o atacante comercialino.

FOCO NA SEQUÊNCIA DO ESTADUAL
Com Gleyson no comando de ataque e garantido na liderança do Grupo 3, o Comercial enfrenta a São-Carlense na última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista Sub-23 Segunda Divisão neste domingo, às 10h, no estádio Francisco de Palma Travassos, em Ribeirão Preto.

Texto de Vinicius Bonadie, especial para a FPF

 
 
" />