Mais preparado, Alexandre Gallo prepara volta ao futebol como técnico

No ano passado, Gallo realizou um bom trabalho como diretor de futebol do Atlético-MG

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 02 (AFI) - O mercado de treinadores do futebol brasileiro ganhou mais uma opção para a temporada 2019. Na verdade, é um velho conhecido. Após trabalhar em 2018 como diretor de futebol do Atlético-MG, Alexandre Gallo quer retornar as atividades na beira do gramado e mostrar que está ainda mais preparado com o que aprendeu fora das quatro linhas.

"Eu nunca deixei de ter o pensamento de ser treinador. Acredito que são upgrades que você vai dando na sua carreira. Acho que se tiver uma proposta para ser treinador, estou muito mais credenciado em função dessa participação como gestor", afirmou Alexandre Gallo em entrevista exclusiva ao Portal Futebol Interior.

Alexandre Gallo recolocou o Atlético-MG na Copa Libertadores como diretor de futebol
Alexandre Gallo recolocou o Atlético-MG na Copa Libertadores como diretor de futebol
Anunciado como diretor de futebol do Atlético-MG em dezembro de 2017 logo depois de Sérgio Sette Câmara ter sido eleito presidente, Alexandre Gallo foi o responsável pela reformulação que o elenco alvinegro passou. Sem a presença na Libertadores, a diretoria fez muitas mudanças e jogadores mais jovens passaram a ter mais oportunidades.

Peças importantes que ajudaram na classificação do Atlético-MG para a Libertadores deste ano com o sexto lugar no Campeonato Brasileiro foram contratadas por Alexandre Gallo, como o lateral-direito Emerson (ex-Ponte Preta), o zagueiro Iago Maidana (ex-Paraná) e os atacantes Chará (ex-Junior Barranquilla-COL) e Ricardo Oliveira (ex-Santos), além de Róger Guedes (ex-Palmeiras). Esse último, porém, foi negociado depois de um ótimo início.

"Foi um aprendizado muito grande, talvez o ano que mais trabalhei na minha vida. Acho que foi o meu melhor trabalho no futebol, apesar que a forma como terminou me deixou decepcionado (Gallo foi demitido na reta final do campeonato). Fizemos uma reformulação muito grande, a equipe finalizou o ano com 23 jogadores abaixo de 23 anos dentro de um elenco de 34. O planejamento financeiro também foi muito bom, conseguimos quase R$ 100 milhões com vendas de atletas, fizemos contratações na casa dos R$ 40 milhões, mas de jogadores importantes, como o Chará. O trabalho foi muito pensado", destacou Gallo.

Após descansar com a família, Alexandre Gallo aguarda propostas para voltar a ser treinador
Após descansar com a família, Alexandre Gallo aguarda propostas para voltar a ser treinador
NA ESPERA!

Agora, Alexandre Gallo aguarda propostas. Na verdade, ele foi procurado no final do ano passado pelo presidente Palmeron Mendes Filho para assumir o cargo de gestor do Guarani, mas o seu desejo é voltar a desempenhar a função de treinador. Seu último trabalho na beira do gramado foi no meio do ano passado, quando comandou o Vitória.

"Tive uma proposta como gestor do Guarani, mas no momento estava bastante dividido nessa situação. Acredito que hoje estou credenciado para das duas funções, me preparei, faço curso de gestor e também da CBF de ser treinador. Foi uma proposta que me deixou lisongeado, mas precisava de um tempo para descansar com a minha família, pois praticamente não tive folga no ano passado", revelou o treinador.

A primeira experiência de Alexandre Gallo foi em 2004 comandando o Villa Nova e fez bons trabalhos por onde passou. Em 2005, livrou a Portuguesa do rebaixamento no Brasileirão depois de assumir o time na zona de rebaixamento. Na Ponte Preta, em 2016, conquistou excelentes resultados e foi demitido de forma injusta mesmo com um aproveitamento de quase 64%.

Talvez o clube que Alexandre Gallo tenha mais identificação como treinador é o Náutico, onde conseguiu resultados expressivos principalmente no Brasileirão de 2012, levando o time para a Sul-Americana do ano seguinte. Antes, conquistou o Campeonato Pernambucano de 2007 pelo Sport, a Recopa de 2007 pelo Internacional e o Catarinense de 2008 pelo Figueirense. Além disso, Gallo foi eleito por três anos seguidos o melhor treinador dos estaduais que participou (Pernambucano de 2007, Catarinense de 2008 e Baiano de 2009).

Alexandre Gallo vê Palmeiras e Flamengo na frente dos demais concorrentes
Alexandre Gallo vê Palmeiras e Flamengo na frente dos demais concorrentes
COMO VÊ O FUTEBOL BRASILEIRO

Alexandre Gallo também comentou o atual momento do futebol brasileiro com uma visão de quem está inserido no meio. Para ele, o Brasileirão é dividido em três partes - líder e vice-líder brigando pelo título, do terceiro ao 12º colocado e depois disso de quem vai brigar contra o rebaixamento. Além disso, Gallo destacou a vantagem de Palmeiras e Flamengo sobre os demais.

"Acostumamos ter um campeonato mais equilibrado, com os 12 grandes brigando pelo título e os outros lutando contra o rebaixamento. Depois desse ano de 2018 acho que existe uma competição entre o primeiro e segundo colocados, depois do terceiro ao 12º e depois dos que vão lutar contra o revaixamento. Acredito que se dividiu assim e os times precisam se organizar, se não a diferença de Flamengo e Palmeiras para os outros grandes vai aumentar ainda mais e isso não vai ser bom para o campeonato", finalizou Gallo.

 
 
" />