Camisa 10 do Náutico se desculpa por ir para cima de árbitra: 'Perdi a cabeça'

Jean Carlos deverá ser denunciado e punido pelo 'show' que deu na final diante do Retrô

Categorias: Futebol Brasil

Por: Agência Estado, 01/05/2022

Jean Carlos Nautico 2022 e1652155699579
Jean Carlos

Recife, PE, 01 – O meio-campista Jean Carlos, camisa 10 e um dos principais jogadores do Náutico, foi às redes sociais neste domingo para pedir desculpas pela atitude lamentável que teve diante da arbitragem na final do Campeonato Pernambucano, contra o Retrô, neste sábado, na Arena Pernambuco. Irritado ao ser punido com o cartão vermelho, ele partiu para cima da árbitra Deborah Cecília e precisou ser contido pelos colegas antes de se dirigir ao vestiário.

“No momento da expulsão, sim, eu fiquei muito chateado, perdi a cabeça, porque eu sabia que não tinha dado a cotovelada e sim que eu tinha feito o movimento de tirar o braço”, argumentou . “Em nenhum momento a xinguei.”

Jean Carlos recebeu o vermelho ainda no primeiro tempo por ter desferido uma cotovelada no jogador Yuri Bigode. O lance foi assinalado com o auxílio do VAR. Após a marcação da falta e a aplicação do cartão, o jogador correu em direção da árbitra, que afastou o meia com o braço.

“Em todo momento que fui para cima, para falar com ela, era sobre que eu tinha tentando tirar o braço dele, que não tinha dado a cotovelada, mas entendo que pelas imagens parece que eu poderia fazer algo. Jamais encostei a mão em uma mulher e jamais encostaria. Se a Deborah achou em algum momento que isso poderia acontecer, peço desculpas a ela, peço desculpas a todas as mulheres, a todas as torcidas.”

A SÚMULA

Apesar do pedido de desculpas, o jogador corre risco de ser punido pelo destempero. A atitude do camisa 10 foi relatada na súmula da partida por Deborah, que citou uma tentativa de agressão por parte do jogador.

“Após eu ter apresentado o cartão vermelho direto, o jogador expulso partiu em minha direção na tentativa de me agredir, sendo contido pelo árbitro assistente Clóvis Amaral, e por seus companheiros de equipe, além disso relutou a sair do campo de jogo, sendo retirado por seus próprios companheiros de equipe”, diz a súmula.

Com a bola rolando, o Náutico venceu o Retrô por 1 a 0 no tempo normal, mesmo resultado do jogo de ida. Nos pênaltis, o goleiro Lucas Perri brilhou com duas defesas e ajudou o Retrô a levantar a taça de bicampeão do Pernambucano.

Confira também: