Brasileirão: Corinthians admite vontade de vender atacante

"Em relação ao Luan, é algo que nos preocupa bastante também. Foi eleito o melhor atleta das Américas, sabemos do potencial que ele tem, mas também não sabemos o que está acontecendo"

A Direção do Corinthians não esconde que quer vender atacante. Essa semana o atacante Jô teve seu contrato rescindido com o clube

Categorias: Grandes clubes de São Paulo

Por: Agência Estado, 10/06/2022

Alessandro e Roberto de Andrade, dirigentes do Corithians
Alessandro e Roberto de Andrade, dirigentes do Corithians. (Foto: Divulgação/ Corinthians)

São Paulo, SP, 10 – O Corinthians está incomodado com a atual situação vivida pelo meia Luan e tem como prioridade negociá-lo na próxima janela de transferências, em julho. O diretor de futebol Roberto de Andrade foi bastante claro ao falar sobre o assunto em coletiva de imprensa, realizada ao lado do gerente Alessandro Nunes nesta sexta-feira, mesmo dia em que duas torcidas organizadas fizeram cobranças sobre a atuação do departamento de futebol corintiano.

“Em relação ao Luan, é algo que nos preocupa bastante também. Foi eleito o melhor atleta das Américas, sabemos do potencial que ele tem, mas também não sabemos o que está acontecendo. Ele foi convocado para alguns jogos e, na véspera ou no dia, se colocou fora porque estava sentindo incômodos e dores. É uma situação delicada, temos contrato com o atleta, não é tão simples fazer a rescisão”, comentou o dirigente.

QUER VENDER RÁPIDO

“O que estamos tentando fazer é, nessa próxima janela agora, conversar. Temos clubes interessados. Podemos conversar com o Luan e ver a necessidade dele, se ele não consegue jogar, tentar jogar em outro lugar. É uma situação que nos incomoda bastante. Isso nos atrapalha no dia a dia. Queremos uma solução, e a mais perto é a da próxima janela”, completou.

Luan não entra em campo desde o dia 19 de fevereiro, quando o Corinthians empatou por 1 a 1 com o Botafogo de Ribeirão Preto, no Campeonato Paulista, ainda sob o comando do interino Fernando Lázaro. Depois que Vítor Pereira chegou, nunca mais foi a campo. A última vez em que foi relacionado foi no dia 20 de abril, na partida contra a Portuguesa-RJ, pela Copa do Brasil.

Duilio Alves, presidente do Corinthians
Duilio Alves, presidente do Corinthians. (Foto: Rodrigo Coca/ Corinthians)

PROTESTOS DAS ORGANIZADAS

O meia de 28 anos foi citado nesta sexta-feira em notas de protesto publicadas pelas duas principais torcidas organizadas do Corinthians. A Camisa 12 citou o caso de Jô, que rescindiu contrato com o clube depois de ser flagrado em um pagode e faltar ao treino, para criticar Luan.

“Pedimos que o Luan tenha a mesma hombridade que o Jô e rescinda seu contrato e pare de ser sanguessuga. O Sport Club Corinthians não é spa, muito menos casa de recuperação para atletas que não têm compromisso”, diz um trecho da nota assinada pela torcida, que também protestou contra o preço dos ingressos e a realização de treinos abertos antes dos próximos compromissos pela Copa do Brasil e pela Libertadores.

TORCIDA DO CORINTHIANS COBRANDO

A Gaviões da Fiel, por sua vez, criticou a forma como a diretoria tratou o caso do atleta, em um comunicado que teve Roberto de Andrade e Alessandro como principais alvos. O texto acusa os dirigentes de falta de transparência e critica a postura adotada por eles na administração e na resolução de conflitos.

“A postura e a conduta dos jogadores é evidência da total falta de controle e rigidez da diretoria de futebol, que ainda assim não viu motivos para dar qualquer explicação. Assim como os atritos públicos entre jogadores – Róger Guedes e Luan e o técnico, não ocorreu vir a público dar qualquer tipo de satisfação ou até administrar os conflitos”.

Durante a coletiva desta sexta, Roberto de Andrade deu uma resposta aos torcedores, sem se aprofundar no assunto. “O fato de não virmos a público falar não significa que não estamos fazendo nada. Quem pode fazer essa avaliação é o presidente. Eu entendo que estou ajudando o clube. Se eu mesmo não entendesse isso, iria embora, sem problema nenhum. Não tenho problema de vaidade, de cargo, de coisa nenhuma”, afirmou.

ROGER GUEDES E JOGADORES AMEAÇADOS

Outro assunto abordado por ele foi a insatisfação demonstrada por Róger Guedes, outro nome citado nas notas das organizadas, pela falta de oportunidades na sua posição preferida. Andrade reforçou o que o treinador Vítor Pereira já havia afirmado em outras ocasiões e garantiu que a postura do atacante não é tratada internamente como um problema.

“Insatisfação por não jogar é uma coisa normal do ser humano, o jogador entende que tem que jogar. Mas quem escala é o treinador, e ele escala quem acha que está melhor. Eu quero deixar bem claro aqui. O Róger não traz um problema no nosso dia a dia, ele é uma excelente pessoa, chega no horário, antes, vai embora depois”, comentou.

ÍDOLOS AMEAÇADOS

Também vieram à tona perguntas sobre as recentes ameaças sofridas por jogadores corintianos nas redes sociais. A situação abalou nomes importantes do elenco, como Willian e Cássio, mas, segundo Roberto de Andrade, nenhum deles chegou a procurar a diretoria para deixar o Corinthians .

“Ninguém fica confortável com esse tipo de atitude. O Cássio ficou, o Willian ficou, outros jogadores que receberam ameaças também ficaram insatisfeitos, mas não vão deixar o clube. O momento do Corinthians, do país, do futebol… São coisas que acontecem. Vocês viram os rapazes que foram levados à delegacia, pediram desculpas. Mas ninguém manifestou vontade de sair do clube, de forma alguma”, garantiu o dirigente.

Confira também: