Com sonhos distintos, Fluminense e Flamengo fazem clássico em Volta Redonda

Antes da partida, o técnico Levir Culpi se arriscou a dizer que é o "jogo do ano" por poder definir o futuro de ambos

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 13 - O retrospecto de ter conquistado apenas uma vitória em sete clássicos na temporada, além do fraco desempenho em decisões, com eliminações precoces no Campeonato Carioca, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana, será uma das barreiras para o Flamengo nesta quinta-feira, às 21 horas, contra o Fluminense, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. O duelo pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro é tratado como um confronto que pode definir o futuro das equipes na temporada.

Ambos em boa fase, os clubes brigam por grandes objetivos. Dono da vice-liderança, com 57 pontos, o Flamengo precisa vencer para encostar no líder Palmeiras, que tem 60. Já o Fluminense, com 46, tenta se manter no grupo de classificação para a próxima Copa Libertadores e não perder a posição para os concorrentes.

Antes da partida, o técnico Levir Culpi se arriscou a dizer que é o "jogo do ano" por poder definir o futuro de ambos. "Por ser o último clássico do ano, vai ser uma incógnita como vai acabar o campeonato. É isso que deixa o campeonato interessante. Os dois estão meio que nessa incógnita", disse o treinador, que não tem desfalques e repetirá a escalação.

No Flamengo, o técnico Zé Ricardo deve promover o retorno de Alex Muralha. Reserva na vitória brasileira sobre a Venezuela, na terça-feira, o jogador participou do último treinamento e não reclamou de cansaço.

Já Guerrero, que foi titular na derrota do Peru para o Chile, também se apresentou na quarta-feira, mas não tem a titularidade garantida. O treinador elogiou as condições do atleta, mas não cravou a sua participação no jogo. Caso fique no banco, o centroavante da equipe será Leandro Damião, que cumpriu suspensão no fim de semana e foi substituído por Felipe Vizeu.