FENAPAF pede extensão da liminar que proíbe jogos às 11h para o resto do Brasil

A Juíza concedeu prazo de 15 dias para manifestação da CBF e marcou uma nova audiência para o dia 10 de outubro, às 14 horas

por Agência Futebol Interior

Natal, RN, 21 (AFI) - Foi realizada na tarde tarde de hoje (20), na 1ª Vara do Trabalho de Natal, mais uma audiência da Ação Civil Pública que move o Ministério Público do Trabalho contra a CBF e que tem por objeto evitar a realização de jogos no horário das 11h às 14h.

A Sessão foi presidida pela Juíza Marcella Alves de Vilar e contou com as presenças do Procurador do Trabalho e autor da Ação, José Diniz de Moraes, presidente da FENAPAF, Felipe Augusto Leite (foto), além dos representantes da CBF e do SAFERN, Sindicato dos Atletas do RN.

A liminar que proibiu a realização de jogos às 11h é restrita ao território potiguar e aos clubes do Rio Grande do Norte em qualquer lugar do Brasil. Porém, como a FENAPAF pediu a extensão dos efeitos da Ação para todo o território brasileiro e em todas as séries e tipos de campeonatos promovidos pela CBF, a Juíza concedeu prazo de 15 dias para manifestação da CBF.

A Juíza concedeu prazo de 15 dias para manifestação da CBF sobre o caso - Divulgação/FENAPAF
A Juíza concedeu prazo de 15 dias para manifestação da CBF sobre o caso

RISCOS
Tudo começou antes do início do Campeonato Brasileiro, onde técnicos, jogadores e médicos dos clubes alertaram sobre os riscos de se jogar no horário da manhã, principalmente em regiões onde o clima é mais quente.

A Fenapaf inclusive encomendou uma pesquisa para avaliar quesitos como hidratação, tempo de partida, acréscimos, parada técnica. O resultado foi que os jogadores perdem mais massa muscular e tem um aumento na temperatura corporal. A próxima audiência está agendada para o próximo dia 10 de outubro, às 14 horas.