Atleta de 13 anos do Botafogo-RJ expõe faltas duras e ofensas nos jogos

Giovanna é a única atleta no sub-13 do clube carioca.

Promessa do Botafogo, Giovana sofreu uma fissura na clavícula e ficará afastada por duas semanas.

Categorias: Grandes clubes do Brasil

Por: Agência Futebol Interior, 23/06/2022

Giovanna, atleta de 13 anos do Botafogo.
Foto: Reprodução/Giovanna Waksman

Rio de Janeiro, RJ, 23 (AFI) – Giovanna Waksman, jogadora do Botafogo de apenas 13 anos, expôs nas redes sociais a violência física e verbal que vem sofrendo na disputa do Campeonato Municipal sub-13. O vídeo publicado pela jovem mobilizou pessoas na internet ao revelar os ataques vindos das arquibancadas e, segundo ela, partindo de pais e mães dos atletas adversários.

Giovana é promessa no futebol feminino brasileiro e atualmente é a única atleta no sub-13 do Botafogo e a única inscrita no Campeonato Metropolitano sub-13, que é misto, ou seja, meninos e meninas podem disputar o torneio. 

Em entrevista, a jogadora disse que ouviu ameaças de morte e repressão para não deixá-la jogar, além de outras ofensas direcionadas ao seu gênero. 

‘’Gritam mandando me matar, dizendo para não deixar eu jogar, que futebol é para homem. E coisas muito piores também. A maioria (dos gritos) vem de mulheres, as mães dos meninos. Um absurdo’’ – disse a menina em entrevista ao ge

O TALENTO INCOMODA OS ADVERSÁRIOS

Em 13 partidas do Botafogo pelo Metropolitano sub-13, Giovanna participou de 21 dos 34 gols marcados pelo Alvinegro – foram 13 assistências e 8 gols. 

Na partida do último domingo, válida pelas semifinais da competição, Giovanna sofreu uma falta dura que ocasionou uma fissura na clavícula. A jogadora precisará ficar duas semanas afastada dos gramados. O atleta adversário responsável pela lesão não recebeu punição. 

A garota ainda afirma que a falta sofrida na última partida não é um episódio isolado e di  que suporta diversas outras agressões durante os jogos. A explicação para isso, segundo Giovana, é de que as violências acontecem em resposta a suas habilidades e dribles.

‘’Independente do sexo, da pessoa, tem que ter mais respeito. Eu não posso ser culpada pelo talento que eu tenho, né?’’, completa.

APOIO DO BOTAFOGO 

Na última quarta-feira (22), o Botafogo se manifestou sobre o caso através das redes sociais do clube:

Confira também: