Sporting está liderando o Português e isso surpreende

O Sporting não vence o Português desde 2002, mas está liderando a tabela e promete uma disputa bem forte até o final

Publicado em .

O Sporting não vence o Português desde 2002, mas está liderando a tabela e promete uma disputa bem forte até o final

Campinas, SP, 12 (AFI) - O Sporting não vence o Português desde 2002, mas está liderando a tabela e promete uma disputa bem forte até o final.

Sporting: o líder inesperado do Português

Um terço do Campeonato Português da temporada 2020-21 já aconteceu e tem uma surpresa na frente: o Sporting CP está liderando. O time é considerado um dos “Três Grandes” em Portugal, mas não vence a liga desde 2001-02.

A equipe do site https://brazil-bonusesfinder.com/, especializado em encontrar bônus de apostas esportivas, só encontrava odds altas no início da época para quem quisesse arriscar numa vitória dos “leões”.

Apostas seguras seriam nos candidatos habituais, FC Porto e SL Benfica. Mas o Sporting é a única equipa sem derrotas e tem de longe a melhor defesa, com apenas 8 gols sofridos em 13 jogos.

Chances a crescer

De acordo com Tony Sloterman - proprietário do site Casino Bonuses Finder, as chances de o Sporting conseguir vencer o Português na temporada esportiva de 2020-21 estão crescendo. Segundo o especialista, “o Sporting criou um coletivo estável, dentro e fora do gramado, como há muito não conhecia”.

O técnico Rúben Amorim, depois do sucesso que conheceu no Sp. Braga e da polêmica sobre o valor de sua contratação, parece estar a conseguir fazer funcionar seu toque de Midas. Além disso, o clube conseguiu se recuperar do período de instabilidade que viveu após os acontecimentos de 2018.

Bruno de Carvalho, um fenômeno para os historiadores

Bruno de Carvalho foi presidente do Sporting entre 2013 e 2018 e saiu em meio ao que foi provavelmente o caso mais polêmico da história do futebol português. Seu estilo populista e divisivo lhe assegurou o sucesso eleitoral por duas vezes, e o fato é que sob sua gestão o futebol dos “leões” melhorou e o clube acumulou sucessos em várias outras modalidades esportivas.

Mas sua posição de permanente combate político contra o que entendia serem as “elites” que vinham dominando o clube, acabou em uma situação bem grave: uma invasão da Academia do Sporting por elementos radicais da torcida do time, em maio de 2018, para castigar o fato de a equipe ter perdido chances de vencer o campeonato.

Quase todos os jogadores foram agredidos, bem como o treinador Jorge Jesus, esse mesmo, que logo depois abandonou o Sporting e foi treinar para a Arábia Saudita. Cenas dignas de Capitol Hill; a torcida flamenguista bem pode agradecer a esses criminosos o fato de Jesus ter deixado de treinar em Portugal. Um tribunal declarou Carvalho inocente da acusação de ter sido o mandante da situação.

Sucesso inesperado

Muitos comentaristas disseram que o Sporting precisaria de anos para se reconstruir. Vários jogadores saíram do time invocando justa causa, devido aos acontecimentos na academia, e os tribunais deram razão a quase todos. Os prejuízos foram incalculáveis. Mas três anos depois o time se encontra na frente do campeonato.

É possível que o contexto atual se deva a uma certa fraqueza dos dois rivais, FC Porto e Benfica, que acaba sendo bem-vinda. O Português sempre foi um campeonato de pouca competitividade, fazendo lembrar “La Liga” ou o Escocês, com três clubes levando todas as vitórias desde 1934 menos duas.

É semelhante à maioria dos estaduais, em que tem dois ou três times da capital estadual e de mais uma cidade importante levando quase todos os troféus. Na última década foi habitual Benfica e FC Porto concretizarem mais de 80 pontos em 102 possíveis, em cada temporada.

Mas na competição 2020-21 as “águias” e os “dragões” estão mais frágeis que o habitual e isso pode estar ajudando o time “verde-e-branco” (os portugueses não chamam o Sporting de alviverde).

Será interessante acompanhar a evolução do Sporting até o final desse campeonato. Principalmente porque a eliminação na Copa de Portugal, contra o modesto Marítimo da Madeira, deixa os leões com menos um “front” de combate e permite concentrar energias no campeonato.