Luto! Crônica gaúcha perde uma lenda da narração esportiva

Com 92 anos, Celestino Valenzuela havia sofrido um infarto em junho e tentava se recuperar na Santa Casa de Porto Alegre

Publicado em .

Com 92 anos, Celestino Valenzuela havia sofrido um infarto em junho e tentava se recuperar na Santa Casa de Porto Alegre

Porto Alegre, RS, 16 (AFI) – A crônica esportiva gaúcha perdeu, na noite desta quinta-feira, uma verdadeira lenda. Morreu Celestino Valenzuela, marcante narrador de várias emissoras de rádio e televisão de Porto Alegre.

Com 92 anos, Celestino Valenzuela havia sofrido um infarto em junho e tentava se recuperar na Santa Casa de Porto Alegre, onde acabou falecendo.

Vai deixar saudade. (Foto: Divulgação)
Vai deixar saudade. (Foto: Divulgação)
DOS GRAMADOS PARA O MICROFONE
Nascido em Alegrete, no interior gaúcho, em 9 de junho de 1928, Celestino Valenzuela chegou a ser jogador de futebol no São Gabriel, mas logo percebeu que seu talento era para o microfone.

Começou no rádio em emissoras do interior do Rio Grande do Sul e, ao chegar em Porto Alegre nos anos 1950, passou a fazer muito sucesso com uma forma inovadora de transmitir futebol.

SUCESSO TOTAL VEIO NA TELEVISÃO
Mas o sucesso maior veio a partir do início dos anos 1970, quando Celestino Valenzuela passou a narrar na televisão, na RBS, afiliada da Rede Globo.

Aproveitando a boa fase do Inter na década de 1970 e do Grêmio, nos anos 1980, Celestino Valenzuela virou referência com vários bordões que criou, sendo que o “que lance!” e “balançou a rede” ficaram marcantes.

Afastado da imprensa esportiva há cerca de dez anos, Celestino Valenzuela vivia recluso com seus familiares e constantemente recebia homenagem por sua relevante história na imprensa esportiva brasileira.

Seu sepultamento será na tarde desta sexta-feira em Porto Alegre-RS.