'Caso não retorne, vamos pleitear o acesso', diz presidente de clube do Paulista A2

Taubaté aparece na segunda colocação, com 21 pontos, um a menos do que o líder São Bernardo FC

Publicado em .

Taubaté aparece na segunda colocação, com 21 pontos, um a menos do que o líder São Bernardo FC

Taubaté, SP, 05 (AFI) - O presidente do Taubaté, o ex-atacante Gilsinho, foi o entrevistado desta sexta-feira do programa Esporte em Marcha, da Rádio Jauense 820 AM, de Jaú. Nela, o mandatário alviazul confessou que a intenção da Federação Paulista de Futebol (FPF) é encerrar o Campeonato Paulista da Série A2 dentro de campo.

No entanto, o ídolo valeparaibano afirmou que, caso isso não seja possível, o Burro da Central irá tentar o acesso por conta do atual cenário da classificação. A equipe taubateana aparece na segunda colocação, com 21 pontos, um abaixo do líder São Bernardo FC após 12 rodadas da primeira fase. Penapolense e Votuporanguense, com nove, formam o Z2.

Gilsinho - Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté
Gilsinho - Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté

CONFIRA OS PRINCIPAIS TRECHOS
Minha opinião bem pessoal. Caso não retorne, como presidente do Taubaté, de uma cidade tão apaixonada por futebol, há tanto tempo longe da Primeira Divisão, vamos pleitear o acesso. Acho que a Federação poderia remanejar a Série A1 do ano que vem. Poderia até subir não só dois, mas oito equipes.

A Federação fala muito que não tem datas, e a primeira fase (do Paulistão) tem 12 datas. Então, eu pensaria até em uma Série A1 do ano que vem com 24 clubes, 12 em cada chave. Você teria 11 datas, uma a menos do que é hoje. Conseguiria fazer com que mais equipes do Interior ficassem vivas.

Assim, arrastava as demais divisões para mais perto da Primeira Divisão. É o meu modo de pensar. Mas pega o lado financeiro. A gente sabe que, quando envolve dinheiro… as cotas poderiam ser distribuídas de uma forma melhor. A dificuldade seria os clubes da Série A1 aceitarem a dividir essas cotas com os que estão subindo.

Vai ter sequência (o Paulista A2). O presidente (da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos) foi taxativo que vai ter, de uma forma ou outra, vão ser encerrados dentro de campo.