Presidente de time pequeno detona e desmente posição de Botafogo e Fluminense

Cartola criticou a atitude das diretorias alvinegra e tricolor em relação ao retorno do Cariocão

Publicado em .

Cartola criticou a atitude das diretorias alvinegra e tricolor em relação ao retorno do Cariocão

Rio de Janeiro, RJ, 02 (AFI) - Elias Duba, presidente do Madureira, não poupou críticas aos dirigentes de Botafogo e Fluminense, contrários ao retorno do Campeonato Carioca. O cartola não só desmentiu a versão dos chamados grandes, como ainda detonou a atitude dos dirigentes alvinegros e tricolores.

"O Botafogo tinha que ser mais justo nas suas afirmações. Não quer jogar porque não pleiteia mais nada, está eliminado da competição e já recebeu todas as cotas referentes a esse campeonato. No Botafogo quem manda não é o presidente do clube, a gente sabe disso. Quem manda é o gestor (Montenegro), que talvez seja mais lúcido", disse ele ao FoxSports.

SEM PERDÃO!
Elias Duba também pegou pesado com Mário Bittencourt, presidente do Fluminense. O dirigente do Madureira garante que o cartola tricolor mudou de opinou.

Sem poupar críticas. (Foto: Divulgação)
Sem poupar críticas. (Foto: Divulgação)
"Eles andavam juntos com os demais desde a primeira reunião. Todos estavam alinhados para que voltasse, inclusive Fluminense e Botafogo. O Fluminense sempre se posicionou que queria voltar com segurança e foi elaborado um protocolo para isso. O presidente do Fluminense participou com tudo, deu sugestões e até foi buscar outros caminhos para a retomada", comentou.

"De repente o presidente do Fluminense é contra tudo, não comparece a reunião e diz que não foi convidado. É estranho porque ele foi convidado, aí manda uma nota oficial dizendo que não", completou Duba.

PEGADINHA?
Duba ainda falou que a diretoria do Botafogo tomou atitude de "maria-vai-com-as-outras ao seguir tudo o que a diretoria do Fluminense fazia no arbitral da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ).

"O Fluminense eu não entendi a pegadinha porque de repente se virou contra tudo, ameaçando até impugnar o arbitral. O presidente do Botafogo vai também em direção a tudo que o Fluminense decide, mudando até seu voto no último arbitral. Ele votava 'sim', aí o Fluminense votava “não” e ele mudava e votava 'não' também", finalizou.