Campeão mundial de 98 detona Payet que se recusou corte salarial

Payet se recusou a ter o salário cortado entre 40% e 50% por conta da pandemia do novo coronavírus

Publicado em .

Payet se recusou a ter o salário cortado entre 40% e 50% por conta da pandemia do novo coronavírus

Campinas, SP, 01 (AFI) - O meio-campista Dimitri Payet, do Olympique de Marselha e da Seleção Francesa, foi criticado, nesta segunda-feira, por Christophe Dugarry, campeão mundial pela França em 1998. Payet se recusou a ter o salário cortado entre 40% e 50% por conta da pandemia do novo coronavírus. Ele foi o único no Olympique.

"Payet não quer que o seu salário diminua? Dá para entender. Mas como ele pode recusar uma diminuição periódica de seu alto salário usando como argumento o fato de que tem contas a pagar?", disse o ex-atacante em entrevista para a RMC.

"É espantoso como as pessoas, num momento como esse, pensam apenas em seu umbigo", completou ele que atuou no Barcelona, Milan e no próprio Olympique.

Críticas duras. (Foto: Divulgação)
Críticas duras. (Foto: Divulgação)
ASPAS DE PAYET!
"Todo mundo teve sua opinião sobre esse assunto. Minha posição era clara e evidente. O jogador que eu sou também é um homem de família. Como todo mundo, tenho despesas financeiras significativas a cumprir e compromissos a cumprir", explicou ele ao Le Journal de l'ile de La Reunion.

Payet, porém, não deverá ficar por muito mais tempo no Olympique. Com salário alto, a diretoria quer reduzir a folha salarial e ainda fazer uma grana extra. O jogador está avaliado em 60 milhões de euros.

O Campeonato Francês, entre os principais torneios da Europa, é o único que já foi encerrado por conta da pandemia do novo coronavírus. O Olympique ficou com o vice-campeonato. O clube de Marselha ficou com 56 pontos, ante 68 do campeão PSG.