Meia do Flamengo protesta contra racismo: 'Não quero ficar em silêncio'

"Estou disposto a aprender mais sobre isso a cada dia e disposto a usar minha influência para dar voz a pessoas negras"

Publicado em .

"Estou disposto a aprender mais sobre isso a cada dia e disposto a usar minha influência para dar voz a pessoas negras"

Rio de Janeiro, RJ, 01 (AFI) - Após o que ocorreu com George Floyd, morto enforcado por um policial nos Estados Unidos, diversos protestos contra o racismo estão acontecendo no mundo, inclusive no mundo do futebol. Nesta segunda-feira, Everton Ribeiro, meia do Flamengo, também usou suas redes sociais e garantiu que não ficará em silêncio.

O jogador relembrou que começou a frequentar favelas do Rio de Janeiro através da AfroReggae, organização não governamental, e percebeu que não era uma coincidência que a maioria das pessoas eram negras.

Ele conversou com um dos integrantes da organização para entender a realidade. Além disso, Everton garantiu que usará sua influência para dar voz a esses pessoas que lutam por igualdade.

"Estou disposto a aprender mais sobre isso a cada dia e disposto a usar minha influência para dar voz a pessoas negras que lutam por um país com mais igualdade.

Não quero ficar em silêncio e compactuar com um país que mata um negro a cada 23 minutos", afirmou Everton Ribeiro.

No Brasil, vários clubes postaram em suas redes sociais relembrando atletas negros de suas histórias. Houve protestos de jogadores da Alemanha e, antes do treinamento, jogadores do Liverpool também protestaram.

Espaço incorporado por HTML (embed)