Mister Dérbi: Relembre o maior 'perrengue' de Vadão pelo Guarani contra a Ponte Preta

Treinador ficou por um fio de perder a invencibilidade no clássico no Paulistão de 2012

Publicado em .

Treinador ficou por um fio de perder a invencibilidade no clássico no Paulistão de 2012

Campinas, SP, 28 (AFI) - Falecido na última segunda-feira em decorrência de câncer no fígado, Oswaldo Alvarez não foi apelidado de Mister Dérbi à toa.

Respeitado e até idolatrado em Ponte Preta e Guarani, status raro em virtude da rivalidade histórica, o ex-treinador disputou nove clássicos entre 1998 e 2012 durante nove passagens pelos clubes locais e jamais foi derrotado: cinco vitórias e quatro empates.

A invencibilidade, entretanto, já esteve bem próxima de ser dissolvida. À frente do comando do Bugre, Vadão ficou perto de conhecer o dissabor da derrota, mas foi salvo pelos pés de Fernando Fumagalli.

Vadão soma 204 jogos no comando do Guarani - Letícia Martins / Guarani FC
Vadão soma 204 jogos no comando do Guarani

Na ocasião, um pênalti convertido pelo camisa 10, aos 46 minutos do segundo tempo, sacramentou empate em 1 a 1 diante da Ponte Preta, em partida válida pela primeira fase do Campeonato Paulista de 2012 e disputada no Estádio Moisés Lucarelli.

O Dérbi Centenário, como ficou apelidado aquele jogo em 24 de março, pelo fato de a rivalidade completar 100 anos, foi o penúltimo do treinador.

A história mais emblemática é que Alvarez tirou Ronaldo do banco de reservas dois minutos antes. O atacante entrou no lugar de Oziel e sofreu a penalidade, convertida por Fumagalli com perfeição.

O clássico ficou marcado pelo pênalti desperdiçado por Guilherme, volante pontepretano, ainda no primeiro tempo, além das expulsões de Fabinho e Wescley e do gol do zagueiro Diego Sacoman, que inaugurou o placar no Majestoso.

BALANÇO

Em cinco trabalhos no Guarani, Vadão contabilizou 204 jogos, com 88 vitórias, 45 empates, 71 derrotas e 50,5% de aproveitamento.

O primeiro trabalho no Brinco de Ouro foi no Campeonato Paulista de 1995, até retornar em 1997 para disputa do Campeonato Brasileiro, quando escapou do rebaixamento - saiu em 1998.

No século XXI, o treinador, terceiro com mais participações no Bugre, ainda trabalhou entre 2009, quando foi vice-campeão da Série B, com direito ao acesso à primeira divisão, até 2010, além de 2012 (vice-campeão paulista) e 2017.

Invicto no Dérbi Campineiro, disputou cinco clássicos no lado verde e branco da cidade, com quatro vitórias e um empate.