Presidente do Guarani não cumpre promessa e atrasa salários do elenco

Ricardo Moisés havia prometido regularizar a situação salarial até a última sexta-feira

Publicado em .

Ricardo Moisés havia prometido regularizar a situação salarial até a última sexta-feira

Campinas, SP, 23 (AFI) - A boa campanha realizada pelo Guarani no Campeonato Paulista não pode ofuscar as falhas da diretoria. O presidente Ricardo Moisés, por exemplo, não cumpriu a promessa de regularizar os salários do elenco até a última sexta-feira.

A situação incomoda os jogadores, mas não o mandatário bugrino. De acordo com Ricardo Moisés, o Guarani aguarda apenas a liberação das cotas da Federação Paulista de Futebol (FPF) e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por parte da Caixa Econômica Federal.

Jogadores do Guarani estão com dois meses de salários atrasados (Foto: David Oliveira/Guarani FC)
Jogadores do Guarani estão com dois meses de salários atrasados (Foto: David Oliveira/Guarani FC)
Por conta da pandemia do novo coronavírus e da alta demanda de levantamentos judiciais, a liberação do dinheiro está demorando um pouco mais para ser feito. Mas a expectativa é que os pagamentos sejam feitos a partir da próxima semana.

"Não é nenhum motivo de preocupação. Os recursos estão lá e já são do Guarani. Existe um ofício judicial mandando a liberação desses recursos para o Guarani. O problema só é a efetivação que antes levava um dia e, agora, foi pedido dez dias", disse o mandário à Rádio Bandeirantes, de Campinas, na última sexta-feira.

Neste sábado, o Portal Futebol Interior tentou contato com Ricardo Moisés, mas não obteve retorno.

O QUE ESTÁ EM ATRASO?
Os jogadores do elenco bugrino estão sem receber salários há dois meses, enquanto o atraso salarial dos funcionários é de um mês.

Isso é mais um efeito da paralisação do futebol por conta da pandemia do novo coronavírus. A Magnum, inclusive, soliticou à Justiça do Trabalho o desconto das parcelas de R$ 350 mil pelos próximos três meses.