Carrossel Caipira: Leto marcava último gol pelo Mogi Mirim há 23 anos

Atacante é lembrado por ter feito parte do trio formado ao lado de Rivaldo e Válber, que fez boa campanha em 1992

Publicado em .

Atacante é lembrado por ter feito parte do trio formado ao lado de Rivaldo e Válber, que fez boa campanha em 1992

Mogi Mirim, SP, 14 - 14 de maio de 1997: Leto marcava seu último gol com a camisa do Mogi Mirim, na vitória contra o América por 2 a 1, após duas passagens pelo time, e 22 gols marcados com a camisa alvirrubra. Ao lado de Rivaldo e Válber, comandou o ataque do 'Carrossel Caipira', que foi destaque na década de 1990.

Naquela quarta-feira (14), Marcão abriu o placar para os donos da casa aos 10 minutos do primeiro tempo. Porém, aos 25 do segundo tempo, Wallace deixou tudo igual, mas por pouco tempo, já que Leto recolocou o Mogi Mirim na frente novamente um minuto depois. Com essa vitória, a equipe da casa quebrou uma sequência de oito jogos sem vencer no Campeonato Paulista A1 daquele ano.

Foto: Reprodução/Facebook Mogi Mirim
Foto: Reprodução/Facebook Mogi Mirim
CARREIRA
Aniversariante do dia, o ex-jogador começou a carreira com 21 anos, jogando pelo Santa Cruz-PE. Logo no seu primeiro ano, conquistou o título do Campeonato Pernambucano. Em 1991, foi jogar pelo ABC-RN, até que em 1992 chegou em São Paulo para jogar pelo Mogi Mirim. Sua primeira passagem pelo clube durou um ano e seis meses, marcando 15 gols. Em 1993, foi emprestado para o Corinthians.

Antes de retornar para o Mogi Mirim, em 1996, Leto teve passagens por Internacional-RS, Guarani e Portuguesa. A sua segunda passagem pelo clube foi de duas temporadas, marcando sete gols. Além das equipes citadas, também atuou por Ituano, Bragantino (atual Red Bull Bragantino), São Caetano, Náutico-PE, Caxias-RS e Cruzeiro-MG. O ex-jogador encerrou sua carreira em 2002, no Vila Nova-MG.

 Foto: Arquivo Pessoal/Leto
Foto: Arquivo Pessoal/Leto
CARROSSEL CAIPIRA
Foi assim que ficou conhecido o time do Mogi Mirim em 1992, comandando pelo técnico Vadão. O então presidente Wilson Fernandes de Barros quis montar uma equipe competitiva para a disputa do estadual daquele ano e contou com jogadores da base, além de contratações de destaque de times de menor expressão.

Uma das marcas desse time era o 3-5-2 como esquema tático, além da falta de posição fixa para os atletas. O nome veio da inspiração do comandante no Carrossel Holandês, que ficou famoso na disputa da Copa do Mundo de 1974, após um futebol inovador apresentado pela Holanda. Ainda em 92, o elenco foi campeão da Copa 90 anos, organizado pela Federação Paulista de Futebol, após final com o Grêmio Sãocarlense.

Ficha técnica:
Mogi Mirim 2 x 1 América
Local:
estádio Wilson Fernandes de Barros, em Mogi Mirim;
Àrbitro: Julio Matto;
Renda: R$ 4.816,00;
Público: 966 pagantes;
Cartão amarelo: Leto (M);
Gols: Marcão (Mogi Mirim); Wallace (América) e Leto (Mogi Mirim).

Mogi Mirim: Ailton Cruz; Ronaldo, Luís Cláudio, Paulão, Marcelo Batatais e Rogério (Nelsinho); Zé Luís, Marcelo Lopes e Jó; Marcão e Leto. Técnico: Osvaldo Alvarez.

América: Schumacher; Reginaldo, Pinga, Alexandre e Márcio; Bolé, Ivan (Paulo Américo), Tininho (Tiganá) e Wallace; Pestana e Marcelo Sergipano. Técnico: Luiz Carlos Ferreira.

Letícia Denadai, Especial para o site da FPF, Sob supervisão de Luiz Minici