Zagueiro do Flu não desanima após lesão e pandemia: 'Hora de criar resiliência'

No total, num período de dez meses, Ferraz só conseguiu disputar sete jogos

Publicado em .

No total, num período de dez meses, Ferraz só conseguiu disputar sete jogos

Rio de Janeiro, RJ, 24 (AFI) - Os últimos 12 meses não têm sido fáceis para Matheus Ferraz. O zagueiro do Fluminense ficou afastado dos gramados por sete meses, no ano passado, após uma cirurgia no joelho direito. Ao voltar ao time, no início desta temporada, disputou apenas sete partidas até os campeonatos serem paralisados em razão da pandemia do novo coronavírus.

Mas a dificuldade de retomar uma rotina de jogos não abala o jogador. Para ele, o momento é de aprendizado fora dos gramados.

"Assim como passei dificuldades na primeira paralisação, é um momento que a gente se fortalece, cria resiliência e volta ainda mais forte. Com fé em Deus, acreditamos que podemos passar por todos os obstáculos", afirma o atleta.

Tempos difíceis. (Foto: Lucas Merçon/ FFC)
Tempos difíceis. (Foto: Lucas Merçon/ FFC)
7 JOGOS EM 10 MESES!
No total, num período de dez meses, Ferraz só conseguiu disputar sete jogos. "Infelizmente tivemos que parar, já que estamos sofrendo com a questão do coronavírus. Uma interrupção que pode ser prolongada, não sabemos até quando. Uma segunda interrupção, contando minha lesão do ano passado, mas sabemos que essa é por um bem maior", diz o jogador.

Com saudades do gramado, o defensor não quer perder a forma física que vinha recuperando nas últimas semanas. Por isso, está mantendo treinos em casa mesmo, porém sem perder a chance de passar mais tempo com a família.

"Estou fazendo treinamentos para manter a forma e me preparar para volta. Passo muito tempo com minhas filhas, podendo brincar bastante com elas e nos entreter de alguma forma. Importante que a gente possa manter esse foco de prevenção sempre, e quando sair ter a atenção de lavar as mãos para não correr o risco de pegar esse vírus", aconselha Ferraz.