Sinop-MT 0 x 3 Costa Rica-MS - CREC dá show e enfrenta Cuiabá nas quartas

Os três gols do time sul-mato-grossense foram marcados ainda no primeiro tempo

Publicado em .

Os três gols do time sul-mato-grossense foram marcados ainda no primeiro tempo

Sinop, MT, 14 (AFI) - O Sinop fez uma péssima partida diante do seu torcedor no Gigante do Norte na noite desta quarta-feira e deu adeus a Copa Verde ao ser goleado pelo Costa Rica, por 3 a 0, nas oitavas de final.

A partida de ida, realizada em Costa Rica, havia terminado com a vitória dos donos da casa. Agora, o CREC vai ter pela frente o Cuiabá, que eliminou o Iporá, nas quartas de final.

LEMBRA DELE?
O Costa Rica é comandado por Mário Tilico, que como jogador fez sucesso vestindo as camisas de São Paulo, Cruzeiro, Vasco da Gama e Atlético de Madrid-ESP. Ele ainda passou por Náutico, Fluminense, Paraná, Juventude, Americano e Cabofriense, onde encerrou a carreira em 2001.

Após pendurar as chuteiras e trabalhar como auxiliar de Flávio Campos, Mário Tilico fez sua primeira estreia como treinador no Ah Ahli-SAU, passando ainda por Remo, Ulbra, River-PI e CSA.

Costa Rica se classificou ao golear o Sinop em pleno Gigante do Norte (Foto: Júlio Tabile/Sinop)
Costa Rica se classificou ao golear o Sinop em pleno Gigante do Norte (Foto: Júlio Tabile/Sinop)

COMO FOI
Quem esperava que o Sinop partiria para cima do adversário desde o início depois de ter perdido a ida por 2 a 1, viu um Costa Rica avassalador. Logo aos quatro minutos, Kanu aproveitou desatenção da zaga adversária e abriu o placar para os visitantes.

Aos 37, Juninho cruzou e Jefferson subiu mais que todo mundo para fazer o segundo do Costa Rica. O que já era ruim ficou ainda pior para o Sinop aos 44 minutos, quando Senna mostrou oportunismo e ampliou.

Em situação bastante delicada, o Sinop quase diminuiu logo no começo do segundo tempo. Fernandinho cobrou escanteio fechado e Renan evitou o gol olímpico. No entanto, Cristian agrediu o goleiro adversário e deixou o time mato-grossense com um homem a menos.

Sem forças para reagir, o Sinop não agrediu mais o Costa Rica, que passou a priorizar a posse da bola até o apito final do árbitro.