Jogadores da Chape entendem protestos, mas pedem apoio da torcida em clássico

A equipe de Chapecó recebe o rival Avaí, no próximo domingo, pelo Campeonato Brasileiro

Publicado em .

A equipe de Chapecó recebe o rival Avaí, no próximo domingo, pelo Campeonato Brasileiro

Chapecó, SC, 14 (AFI) – A fase da Chapecoense é complicada. Após a derrota por 4 a 1 para o Ceará, no último sábado, a torcida recebeu os jogadores com protestos no aeroporto de Chapecó. Os jogadores reconhecem que os torcedores têm motivo para estarem insatisfeitos, mas pedem apoio para a próxima partida, um importante clássico contra o Avaí.

Um dos líderes do elenco, o volante Márcio Araújo foi um dos jogadores que comentou a situação e reforçou que a torcida precisa estar ao lado dos jogadores na busca para reverter a má fase.

“A gente entende, pois nos colocamos no lugar do torcedor. Se a gente estivesse do outro lado, também iríamos protestar por conta dos resultados. Mas eu, na condição de atleta e representante da Chapecoense, posso dizer que estamos lutando para sair dessa situação o mais rápido possível. Apesar com nosso trabalho não será suficiente, precisamos do apoio do torcedor no domingo”, afirmou.

O zagueiro Maurício Ramos, um dos mais recentes reforços para o Campeonato Brasileiro, também teve discurso no mesmo tom.

“Temos que trabalhar, focar, nos cobrar de novo para fazer um clássico em casa com o apoio da nossa torcida e sair dessa situação. Precisamos dela nesse momento, precisamos que o torcedor nos abrace, que venha nos ajudar. Reclamem do time, mas depois convoquem todo mundo para fazer um caldeirão em casa e irmos em busca da vitória”, disse.

Com dez pontos em 14 jogos, a Chapecoense ocupa a 18ª colocação no Brasileirão, dentro da zona de rebaixamento. No domingo, a equipe enfrenta o rival Avaí, na Arena Condá. O adversário é o lanterna da competição com seis pontos.