Após concluir Licença A, ex-treinador da Ponte Preta volta forte no mercado

João Brigatti tem no currículo bons trabalhos por Macaca e Paysandu

Publicado em .

João Brigatti tem no currículo bons trabalhos por Macaca e Paysandu

Campinas, SP, 21 (AFI) - Com o mercado brasileiro agitado, graças às trocas de treinadores nas quatro divisões nacionais, tem deixado em alertar alguns profissionais renomados e cotados para assumir os clubes.

Um deles é João Brigatti, o qual vem de grande trabalho realizado no Campeonato Paraense, quando dirigiu o Paysandu e deixou a equipe de forma invicta.

Pensando no futuro à beira do gramado, o ex-goleiro concluiu a Licença A do Curso da CBF, realizado em Águas de Lindóia. Após término, Brigatti teve nome cotado no ABC-RN, em disputa da Série C do Campeonato Brasileiro - o time de Natal, porém, acertou com Sérgio Soares.

João Brigatti conclui curso na CBF e mira realocação no mercado
João Brigatti conclui curso na CBF e mira realocação no mercado

Em razão de várias mudanças no futebol brasileiro, o técnico analisa com carinho algumas situações. "Já havia programado o término da Licença A para que, depois, pudesse estar focado no mercado. Sabemos que o mercado está agitado e estamos no aguardo de algo que seja interessante em termos de condições de trabalho", revelou.

HISTÓRICO

O treinador, contratado a princípio para ser auxiliar técnico da Ponte Preta, foi efetivado, realizou bom trabalho na última Série B, mas deixou a Macaca justamente por querer ter a carreira solo.

Em Campinas, onde foi goleiro e preparador, Brigatti dirigiu a Alvinegra em 29 jogos, com 12 vitórias, 11 empates e seis derrotas. Ele foi uma espécie de bombeiro para assumir o cargo nas trocas de comando de Felipe Moreira, Gilson Kleina, Eduardo Baptista e Doriva.

Além dos bons números na Ponte, João teve 54% de aproveitamento, conquistou o Troféu do Interior, garantiu a permanência na Série A1 do Campeonato Paulista, levou o clube à quarta fase da Copa do Brasil e alcançou o G4 na Série B do Campeonato Brasileiro.

Em seguida, o treinador foi contratado para dirigir o Paysandu, o qual já havia sondado sua situação duas vezes anteriormente, ainda quando estava em solo paulista.

Em Belém, trabalhou na última edição da Bezona e, neste ano, realizou grande campanha. O profissional, porém, deixou o Papão invicto - os torcedores bi colores não pouparam críticas ao presidente pelo desligamento.