Por circunstâncias do jogo, Victor vê vitória grandiosa do Atlético-MG

Goleiro do Atlwetico reclama de expulsão de Elias e depois vibra: "Foi uma vitória grandiosa".

Publicado em .

Goleiro do Atlwetico reclama de expulsão de Elias e depois vibra: "Foi uma vitória grandiosa".

Campinas, SP, 18 (AFI) - Vencer o Flamengo já seria um grande feito, mas derrubar o time carioca atuando com dez jogadores durante todo o segundo tempo provocou euforia entre os jogadores do Atlético Mineiro após o triunfo por 2 a 1, neste sábado, no Independência, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. O goleiro Victor não economizou adjetivos para qualificar este triunfo. "Foi uma vitória grandiosa, monstruosa e merecida. É difícil dimensionar uma vitória deste jeito, diante de um adversário tão qualificado e com um jogador a menos", disse.

Segundo o goleiro, houve rigor na interpretação da arbitragem para a expulsão de Elias, ocorrida nos acréscimos do primeiro tempo após uma entrada no tornozelo de Renê. "Um pouco antes houve um lance parecido com o Bruno Henrique (do Flamengo) e o juiz não deu nem amarelo. Não gosto de criticar a arbitragem, mas não achei correto", analisou.

Enquanto Patrick deixava o campo com as mãos no ouvido como que pedindo os aplausos e gritos da torcida e sendo retribuído, o lateral Guga não escondia a emoção de participar desta vitória emocionante. "Foi uma vitória com a cara do Galo, com muita raça e graças à união do grupo e ao trabalho da comissão técnica. Além disso, nós somamos três pontos diante de uma equipe que vai brigar pelo título, então o valor é ainda maior. Jogamos com a vibração da nossa torcida e isso nos encheu de vontade para buscar a vitória, mesmo com um jogador a menos", explicou.

TÉCNICO PORTUGUÊS? - Durante o jogo, as câmeras de televisão se voltaram para um dos camarotes do Independência, onde estava o técnico português Jorge Jesus, de passagem marcante pelo comando do Sporting Lisboa e que estaria cotado para assumir o comando do Atlético no lugar do interino Rodrigo Santana. Antes ele, teve seu nome vinculado à possibilidade de assumir o Vasco, porque teria o desejo de trabalhar no futebol brasileiro.

Desde que assumiu o cargo no lugar de Levir Culpi, Rodrigo Santana disputou dez jogos, com cinco vitórias, três derrotas e dois empates. Mas seu desempenho no Brasileirão tem sido muito bom, com 12 pontos em 15 disputados - quatro vitórias e uma derrota.

O time mineiro vai fechar o sábado na vice-liderança, só atrás do Palmeiras, com 13, e torcendo contra o São Paulo, terceiro e com dez pontos, que domingo receberá o Bahia no Morumbi. O Atlético-MG agora volta as suas atenções para a estreia na Copa Sul-Americana, terça-feira, contra o Unión La Calera, no Chile.